Coreia do Norte

Dennis Rodman comemora clima amistoso entre Trump e Kim

Em entrevista após o aperto de mão histórico, o ex-jogador da NBA disse que acredita na paz entre os EUA e a Coreia do Norte após a cúpula

trump kim

Dennis Rodman, ex-jogador da NBA, foi a Cingapura a convite de Kim e Trump

Dennis Rodman, ex-jogador da NBA, foi a Cingapura a convite de Kim e Trump

Reuters / Feline Lim / 11.6.2018

Apontado como um dos responsáveis pela aproximação entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, o ex-jogador de basquete Dennis Rodman comemorou o encontro entre os dois líderes, após o histórico aperto de mão em Cingapura, nesta terça (12).

Em entrevista à CNN, o ex-jogador cinco vezes campeão da NBA se mostrou satisfeito com o aperto de mão, disse que tentou promover um encontro semelhante entre Kim e o ex-presidente norte-americano Barack Obama e afirmou que espera a paz entre os países a partir de agora.

Prova de confiança

Rodman afirmou que, quando conheceu o atual líder da Coreia do Norte, "não sabia nada dele", mas que ele logo se mostrou um grande fã de basquete. Segundo o ex-jogador, ele ofereceu a Kim a chance de levar um time norte-americano de basquete para jogar em Pyongyang e que isso o fez ganhar a confiança.

"Ele ficou emocionado quando chegamos. Disse que foi a primeira vez que um estrangeiro do Ocidente fez uma promessa para a Coreia do Norte e realmente cumpriu", contou.

Tentativas com Obama

A partir dessa amizade com Kim, Rodman teria entrado em contato diversas vezes com a administração do ex-presidente Barack Obama, sem jamais ser recebido ou levado a sério.

"Tentei falar com Obama diversas vezes e ele não ouviu. Falei que a porta da Coreia do Norte iria se abrir, sempre acreditei neles. Não estou aqui por dinheiro ou política, só quero que os norte-coreanos e todos os outros possam viver bem. Ninguém me levou a sério, virei motivo de piada, mas agora eles estão aqui", completou o ex-jogador, emocionado.

Detalhes sobre Kim

A respeito do líder norte-coreano, de quem se considera amigo pessoal, Rodman disse que ele é "como uma criança grande" e que seu sonho seria conhecer países estrangeiros, incluindo os Estados Unidos.

Quando os jornalistas da CNN lhe perguntaram se Kim Jong-un entende bem inglês e se poderia ter dispensado um intérprete durante o encontro com Trump, ele se esquivou e disse apenas que o norte-coreano "sabe falar bem sobre basquete".

"Ele só quer trazer a Coreia do Sul para o século 21 e melhorar as coisas para seu povo", disse Rodman, que foi convidado pelos dois líderes para ir a Cingapura acompanhar a cúpula.

    Access log