Novo Coronavírus

Internacional Denúncias de violência doméstica disparam durante isolamento

Denúncias de violência doméstica disparam durante isolamento

OMS aponta que na Europa, as chamadas de emergência feitas por mulheres sujeitadas por seus parceiros íntimos à violência aumentou em 60%

Reuters
Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa

Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa

Ida Guldbaek Arentsen / EFE/EPA - 27.03.2020

As ligações para disques-denúncia de violência doméstica da Europa aumentaram em até três quintos, alertou a OMS (Organização Mundial da Saúde) nesta quinta-feira (7). Um dos fatores é o consumo exagerado de álcool e drogas que se combina com a alienação do isolamento pelo novo coronavírus para atiçar os abusos contra os mais vulneráveis,

O estresse e a ansiedade provocados por semanas de restrições à vida pública transformaram a incerteza, a separação e o medo em parte do cotidiano de muitos, disse o diretor regional da OMS para a Europa, Hans Kluge.

Ele citou relatos de muitos países, como Bélgica, Bulgária, França, Irlanda, Rússia, Espanha e Reino Unido, a respeito do aumento de episódios de violência contra mulheres e homens por parte de parceiros íntimos e contra crianças por causa da reação à pandemia da covid-19.

"Embora os dados sejam escassos, estados-membros estão relatando até 60% de aumento de chamadas de emergência feitas por mulheres sujeitadas por seus parceiros íntimos à violência em abril deste ano na comparação com o último", disse Kluge em um briefing virtual de Copenhague.

Pesquisas online de disques-denúncias de prevenção da violência aumentaram até cinco vezes, disse a agência, classificando a questão como um problema global.

Kluge observou que alguns países deram exemplos de como tratar a questão. A Itália tem um aplicativo para se pedir ajuda sem fazer ligações, e na França e na Espanha as vítimas podem alertar farmacêuticos com palavras em código.

Últimas