Coronavírus

Internacional Disneylândia de Paris reabrirá em junho depois de 7 meses fechada

Disneylândia de Paris reabrirá em junho depois de 7 meses fechada

Parque de diversões voltará a receber o público daqui a um mês após paralisar as atividades em outubro por causa da covid-19

  • Internacional | Da EFE

Disney da França promete seguir rígidas regras sanitárias para voltar a receber visitantes

Disney da França promete seguir rígidas regras sanitárias para voltar a receber visitantes

Aurelia Moussly/AFP - 15.07.2020

A Disneylândia de Paris reabrirá suas portas em 17 de junho, após ser forçada a paralisar as atividades em 30 de outubro do ano passado por causa das restrições sanitárias para conter a pandemia do coronavírus, anunciou a empresa nesta segunda-feira (17).

“A reabertura será feita com exaustivas medidas de saúde e segurança”, disse a empresa, que especificou que as atuais condições de reserva são “flexíveis” tanto na oferta de pacotes como de bilhetes datados.

Os hotéis do complexo também vão reabrir assim como o Hotel New York - The Art of Marvel, que será inaugurado no dia 21 de junho e poderá ser reservado a partir de 18 de maio.

“Sonhamos com este momento”, disse Natacha Rafalski, presidente da Disneylândia de Paris, que explicou que, na reabertura, será possível desfrutar de todas as atrações e “muitas mais surpresas”.

As restrições sanitárias impostas na França ao fechamento de locais públicos, de bares e restaurantes a academias ou restaurantes, serão suspensas no país na próxima quarta-feira (19).

O governo francês confia que a aceleração da campanha de vacinação e a melhoria dos dados, visto que tanto as hospitalizações como as mortes por covid-19 continuam a diminuir, permitirão que esta reabertura seja definitiva e progressiva.

Na França, há atualmente 22.963 hospitalizados por covid-19, com 4.255 pacientes em UTIs.

Neste domingo (16), o país registrou 81 mortes em hospitais por coronavírus e 13.948 casos nas últimas 24 horas, elevando o número total de mortes para 107.616 e o ​​total de casos para 5,87 milhões desde o início da pandemia, segundo o último dados das autoridades de saúde.

Últimas