China

Internacional Duas mortes são confirmadas em desabamento de prédio na China

Duas mortes são confirmadas em desabamento de prédio na China

Pelo menos 14 pessoas estão presas nos escombros há quatro dias; buscas seguem para localizar 39 vítimas desaparecidas

AFP
Prédio que desabou no sábado (29), na China, abrigava apartamentos, um hotel e um cinema

Prédio que desabou no sábado (29), na China, abrigava apartamentos, um hotel e um cinema

CNS / AFP

Ao menos duas pessoas morreram no desabamento de um edifício na cidade de Changsha, capital de Hunan, informou nesta terça-feira (3) a agência estatal de notícias Xinhua, após quatro dias de operações de resgate em busca de dezenas de pessoas ainda desaparecidas.

"Nove pessoas foram resgatadas e duas morreram", afirmou a Xinhua, sem explicar se as vítimas fatais estão entre as pessoas que as equipes de emergência retiraram dos escombros.

O edifício comercial abrigava apartamentos, um hotel e um cinema, desabou no dia 29 de abril e provocou uma grande operação de resgate.

Na manhã de terça-feira, uma mulher foi retirada com vida dos escombros, algo que a imprensa estatal chamOui de "milagre".

O canal estatal CCTV exibiu imagens de uma pessoa enrolada em um cobertor em uma maca, a nona pessoa retirada dos escombros em quatro dias.

"Esperando mais milagres", escreveu a CCTV em suas redes sociais.

O Diário do Povo, jornal do Partido Comunista, informou que a mulher estava consciente e conseguiu conversar com os socorristas por um buraco antes de ser resgatada. "Os sinais vitais eram estáveis", afirmou a publicação.

As operações prosseguiam nesta terça-feira na área da tragédia. As autoridades anunciaram que pelo menos 14 pessoas estão presas nos escombros e não conseguiram estabelecer contato com outras 39.

Nove pessoas, incluindo o dono do edifício e inspetores de segurança, foram detidas no âmbito da investigação do acidente.

As autoridades afirmaram que os inspetores falsificaram um relatórios de segurança do prédio.

O presidente chinês, Xi Jinping, ordenou uma investigação profunda do desabamento, segundo a imprensa estatal.

Últimas