Eleições na Argentina: justiça manda atrasar divulgação da apuração

Dados da votação para presidente só devem começar a sair quando 10% dos votos dos quatro principais distritos eleitorais estiverem contabilizados

33,8 milhões de pessoas devem escolher entre um dos seis candidatos a presidente

33,8 milhões de pessoas devem escolher entre um dos seis candidatos a presidente

Carlos Garcia Rawlins/ Reuters - 24.10.2019

A Justiça Eleitoral da Argentina ordenou que o governo do país só comece a divulgar os primeiros dados da apuração provisória do pleito presidencial deste domingo (27), quando 10% dos votos dos quatro principais distritos eleitorais estiverem contabilizados.

A resolução, que a Agência Efe teve acesso, foi feita pela juíza María Servini, que já havia imposto a mesma medida nas primárias realizadas no dia 11 de agosto.

A expectativa é que 33,8 milhões de pessoas votem para escolher entre um dos seis candidatos na corrida presidencial, para renovar parte do Congresso, eleger governadores das províncias de Buenos Aires, Catamarca e La Rioja e para prefeito na capital do país.

Na Argentina, o Ministério do Interior é responsável pela apuração provisória que será realizada neste domingo à noite. Já o trabalho oficial de contagem, que é de responsabilidade da Justiça Eleitoral local, terá início apenas na terça-feira (29).

A juíza Servini ordenou que apenas depois que forem contabilizados 10% das mesas de votação nas províncias de Buenos Aires, Santa Fé e Córdoba e na cidade de Buenos Aires, os quatro distritos com maior peso eleitoral do país.

A resolução foi adotada a partir de objeções feitas pela aliança Frente de Todos, do candidato Alberto Fernández, que apontou falta de confiabilidade dos sistemas de informação da contabilização da empresa Smartatic.

Em agosto passado, quando a magistrada tomou a medida, o início da divulgação de dados provisória foi atrasada, justamente, por causa de falha no sistema.

Se nenhum dos seis presidenciáveis obtiver 45% dos votos ou mais de 40% e dez pontos percentuais de vantagem para o segundo mais votado, a disputa será decidida em segundo turno, chamada no país de "balotaje", no próximo dia 24 de novembro.