Era Trump

Internacional Eleições nos EUA: o que são 'swing states' e por que eles importam

Eleições nos EUA: o que são 'swing states' e por que eles importam

Os estados indefinidos podem decidir quem será o vencedor em uma eleição. Neste ano, presidenciáveis tentam ganhar votos em 12 estados

Estados indefinidos podem dar vitória para Trump ou Biden

Estados indefinidos podem dar vitória para Trump ou Biden

Al Drago/Reuters - 18.9.2020

No sistema eleitoral norte-americano, o resultado da votação popular importa menos do que no Brasil, por exemplo. O que consolida a vitória de um dos candidatos é o número de estados em que eles vencem, e, consequentemente, levam todos os delegados no Colégio Eleitoral, que é o órgão que define o resultado final da eleição presidencial dos EUA.

Leia também: Eleições nos EUA: o sistema político no país é mesmo bipartidário?

“O eleitor vota em um candidato no seu estado e depois, o candidato que tiver o maior número de votos, vai alcançar o direito de ter todos os delegados daquele estado. No Texas, que tem 38 delegados, se vencer o Trump, vão todos os delegados para o Trump. Se vence o Biden, todos vão para o Biden”, explica a professora de Relações Internacionais da ESPM-SP, Denilde Holzhacker.

Cada estado tem um número diferente de delegados, variando pelo tamanho e número de eleitores. Alguns estados são historicamente alinhados com um dos dois espectros, republicano ou democrata, enquanto outros mudam de eleição para eleição, os chamados "swing states" ("estados-pêndulo", em tradução livre, os que podem fazer oscilar a contagem no colégio eleitoral).

Esses estados são as grandes incógnitas durante as campanhas e podem muitas vezes ser decisivos para a vitória de um dos candidatos.

Os swing states de 2020

Nessa eleição, o cenário é um pouco diferente das eleições de 2016. Estados que já são conhecidos por serem indefinidos continuam incertos, enquanto estados que são historicamente alinhados a um partido podem surpreender.

Segunda a professora, os principais swing states deste ano são a Flórida, Wisconsin, Michigan, Minnesota, Iowa, Arizona e Nevada. A Carolina do Norte e Geórgia, que historicamente são estados republicanos, ficaram incertos neste ano nas pesquisas.

Em 2016, a Pensilvânia, tradicional estado democrata, votou em Donald Trump, e se tornou um swing state neste ano. Ohio, que também costuma votar nos democratas, também gera dúvidas.

“Um estado que é tradicionalmente republicano e que nesse ano há uma indefinição é o Texas, mas as pesquisas mostram que há uma leve preponderância do Trump para conseguir votos e manter o estado como republicano”, diz a professora.

Últimas