Novo Coronavírus

Internacional ELN propõe cessar-fogo bilateral de 90 dias ao governo colombiano 

ELN propõe cessar-fogo bilateral de 90 dias ao governo colombiano 

O grupo afirma que uma das razões para o cessar-fogo unilateral em abril foi o apelo que o Secretário Geral da ONU, Antonio Guterres

  • Internacional | Da EFE

Grupo guerrilheiro ELN segue ativo após fim dos diálogos de paz

Grupo guerrilheiro ELN segue ativo após fim dos diálogos de paz

Federico Rios./Reuters - 26.2.2018

A guerrilha ELN (Exército de Libertação Nacional) propôs ao presidente colombiano Iván Duque um cessar-fogo bilateral de 90 dias, em resposta à convocação feita pelo Conselho de Segurança da ONU e pelo Papa Francisco para a pandemia do coronavírus SARS-CoV-2.

Leia mais: Novos ataques distanciam Colômbia e ELN de acordo de paz

A iniciativa foi anunciada pelo Comando Central do ELN em uma declaração na qual asseguram que "levando em conta a Resolução 2532 (do Conselho de Segurança da ONU) que está em correspondência com o apelo do Papa Francisco, propomos ao Presidente Iván Duque acordar um cessar-fogo bilateral de 90 dias".

A comunicação do ELN lembra que "nossa delegação de diálogos, que está em Havana, tem o poder de processar todos os detalhes operacionais" dessa trégua.

As últimas negociações de paz entre o governo colombiano e o ELN começaram em fevereiro de 2017 no Equador e em maio de 2018 foram transferidas para Havana, onde a quinta rodada de negociações foi concluída sem progresso no início de agosto daquele ano.

Alguns dias depois de assumir a presidência da Colômbia, Duque condicionou a retomada das negociações de paz com o ELN com o fim dos sequestros e outras atividades criminosas, além de libertarem todos os prisioneiros que estavam em cativeiro.

O incipiente processo de paz terminou após o ataque terrorista cometido pelo ELN em 17 de janeiro de 2019 contra uma Escola de Polícia em Bogotá que deixou 22 cadetes mortos, incluindo um do Equador, e 66 feridos.

Resolução Humanitária

O grupo guerrilheiro acrescentou em sua declaração que "se este cessar-fogo bilateral fosse acordado, seria criado um ambiente de distensão humanitária, favorável para reiniciar os diálogos de paz entre o governo colombiano e o ELN".

Em março passado, a guerrilha anunciou um cessar-fogo "ativo unilateral" entre os dias 1º e 30 de abril como um "gesto humanitário" devido à pandemia do coronavírus.

Na ocasião, o ELN propôs ao governo reunir-se com seus negociadores em Cuba e garantiu que uma das razões que levaram ao cessar-fogo unilateral em abril foi o apelo que o Secretário Geral da ONU, Antonio Guterres, fez em 23 de março de um cessar-fogo global que interrompa todas as guerras para ajudar a combater a pandemia.

A proposta para o novo cessar-fogo bilateral do ELN foi anunciada cinco dias depois que as autoridades colombianas prenderam oito suspeitos de estarem envolvidos no ataque terrorista contra a Escola de Cadetes da Polícia em Bogotá.

Nas últimas semanas, o ELN libertou várias pessoas que estavam sequestradas nos departamentos de Arauca, Norte de Santander e Cauca.

Últimas