Em apoio a atos antirracismo, intelectuais lamentam intolerância

Segundo signatários, que incluem acadêmicos, escritores e artistas, troca de informações e ideias está se tornando cada vez mais restrita 

Intelectuais declaram apoio a atos antirracistas

Intelectuais declaram apoio a atos antirracistas

Peter Nicholls/Reuters - 5.7.2020

Mais de 150 acadêmicos, escritores e artistas de renome mundial assinaram uma carta publicada na terça-feira (7) expressando apoio a protestos globais contra o racismo e lamentando um "clima intolerante que se instalou por todos os lados".

O ativista e linguista norte-americano Noam Chomsky, a ativista veterana dos direitos das mulheres Gloria Steinem, os autores J.K. Rowling e Salman Rushdie e o jornalista Fareed Zakaria estão entre os signatários.

A carta sobre "justiça e debate aberto" foi publicada pela Harper's Magazine e aparecerá em muitas publicações importantes.

O documento manifesta apoio a manifestações em andamento contra a brutalidade policial e a desigualdade racial que se espalharam dos Estados Unidos para todo o mundo, após a morte de um homem negro desarmado, George Floyd, enquanto estava sob custódia de um policial em Mineápolis no dia 25 de maio.

No entanto, a carta também diz que os sentimentos desencadeados solidificaram um novo conjunto de atitudes morais e compromissos políticos em detrimento do debate aberto, e permitiram que a conformidade ideológica diminuísse a tolerância às diferenças.

A troca aberta de informações e ideias está se tornando cada vez mais restrita diariamente, alertou a carta.