Internacional Emboscada com explosivos mata 8 policiais no sudoeste da Colômbia

Emboscada com explosivos mata 8 policiais no sudoeste da Colômbia

Segundo imprensa local, após mina terrestre ser detonada, homens ainda atiraram com fuzis contra os agentes

Agência EFE

Resumindo a Notícia

  • Oito policiais morreram após um explosivo detonar em uma emboscada na Colômbia
  • Segundo imprensa local, policiais foram atacados com disparos de fuzil após explosão
  • Presidente da Colômbia, Gustavo Petro, lamentou o ataque às forças policiais
Colômbia sofre com ataques às forças armadas do país por parte de grupos armados

Colômbia sofre com ataques às forças armadas do país por parte de grupos armados

Juan Barreto/AFP - 11.5.2021

Pelo menos oito policiais da Colômbia foram assassinados nesta sexta-feira (2) em uma emboscada ocorrida em uma área rural do departamento de Huila, no sudoeste do país, segundo confirmou o presidente Gustavo Petro.

O ataque, cujos autores não foram identificados, ocorreu nos arredores de San Luis, aldeia que faz parte da zona rural de Neiva, capital de Huíla.

Segundo as primeiras informações, as vítimas são dois subintendentes, dois patrulheiros e quatro auxiliares.

"Rechaço veementemente o ataque com explosivos que matou oito policiais em San Luis, Huila. Solidariedade a suas famílias. Esses eventos expressam uma clara sabotagem da paz total. Pedi às autoridades que se desloquem ao território para assumir a investigação", escreveu Petro no Twitter.

Aparentemente, os policiais estavam voltando para a delegacia após um dia de trabalho no corregimiento de San Luis quando um campo minado foi ativado no momento em que passava o caminhão no qual estavam.

Após a explosão, os uniformizados foram atacados com rajadas de fuzil, segundo informações compiladas pela imprensa local.

Este é o primeiro ataque contra as forças de segurança desde que Petro chegou ao poder, quando as ofensivas contra policiais e militares foram paralisadas através do chamado "plano pistola", promovido principalmente pela quadrilha criminosa Clã do Golfo.

Um total de 36 policiais foram mortos como resultado dos ataques da maior quadrilha criminosa do país que, após a extradição para os Estados Unidos do líder, Dairo Antonio Úsuga, vulgo Otonie, intensificou os atentados contra as forças de segurança, principalmente na costa Atlântica e no noroeste do país.

Últimas