Internacional Empresário ligado a Maduro será julgado nos EUA em janeiro

Empresário ligado a Maduro será julgado nos EUA em janeiro

Alex Saab, preso em Cabo Verde e posteriormente extraditado, é acusado de crimes ligados à lavagem de dinheiro

Agência EFE
Alex Saab foi extraditado para os EUA em outubro deste ano

Alex Saab foi extraditado para os EUA em outubro deste ano

Divulgação/Reuters

Um juiz federal dos Estados Unidos marcou para 3 de janeiro o julgamento do empresário colombiano-venezuelano Alex Saab, suposto testa de ferro do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e que é acusado em um tribunal de Miami por lavagem de dinheiro.

O juiz Robert N. Scola Jr., que será o responsável pelo julgamento, disse que ele deve durar duas semanas e será conduzido por um júri. O magistrado também convocou uma audiência preliminar com as partes envolvidas para 28 de dezembro.

No último dia 15, Saab, de 49 anos, alegou inocência em relação às acusações perante a juíza Alicia M. Otazo-Reyes, na mesma corte. Já no início do mês, Scola, julgou improcedentes sete acusações de lavagem de dinheiro contra o réu, que foi extraditado de Cabo Verde em 16 de outubro.

A redução de acusações fazia parte do acordo de extradição com o governo cabo-verdiano, de modo que, caso Saab seja considerado culpado, a sentença não exceda a que ele teria recebido no país africano.

Saab pode ser condenado a cerca de 20 anos de prisão se for considerado culpado dessa única acusação no tribunal de Miami, mas a pena pode ser reduzida se ele fizer um acordo com a promotoria, o que geralmente envolve a delação de cúmplices.

Últimas