Equador prorroga por 60 dias estado de exceção por covid-19

Mesmo apontando que a propagação do coronavírus está controlada, o presidente do Equador prorrogou a medida como forma de combate

Lenin Moreno decide pela prorrogação do estado de exceção

Lenin Moreno decide pela prorrogação do estado de exceção

Miguel Rajmil/ EFE/ 26.04.2020

O presidente do Equador, Lenin Moreno, prorrogou nesta terça-feira (16) o estado de exceção no país por 60 dias, para seguir no combate à covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, embora aponte que a propagação do patógeno está controlada.

A informação foi divulgada através de um comunicado, que revela o envio do Decreto Executivo número 1074. Com isso, além da busca para seguir atuando contra a enfermidade, através de medidas excepcionais que visam acabar com o contágio em massa.

"Também visa estabelecer mecanismos emergentes que permitam enfrentar a recessão econômica, assim como a crise fiscal", aponta o documento assinado por Moreno.

Com base nas disposições do estado de exceção, as instituições vinculadas ao Poder Executivo devem coordenar os esforços para reativar as atividades econômicas, especialmente, nas províncias mais afetadas pelo novo coronavírus.

O decreto também mantém suspensos os direitos de liberdade de associação, reunião e trânsito, para manter as medidas de isolamento e distanciamento social.

Dados oficiais

Segundo o balanço mais recente, divulgado na segunda-feira (15), o Equador registrou 47.322 casos de infecção, além de 3.929 mortes. Segundo Ministério da Saúde ainda aponta para 2.603 óbitos suspeitos de terem sido causados pela covid-19.

O país, atualmente, está em fase de relaxamento gradual de medidas de isolamento e distanciamento. Dos 221 cantões do território, 130 estão em estado amarelo, em sinalização semafórica de emergência epidemiológica. Dois estão no verde, e o restante no vermelho.