Novo Coronavírus

Internacional Espanha repudia alertas de viagem britânicos e alemães 

Espanha repudia alertas de viagem britânicos e alemães 

País, que precisa de turistas no verão para reavivar economia, disse que medidas são discriminatórias. Britânicos formam maioria dos turistas 

Reuters
Espanha esperava reativar economia com turismo no verão

Espanha esperava reativar economia com turismo no verão

Enrique Calvo/Reuters - 28.7.2020

A Espanha expressou revolta nesta terça-feira (28) com as recomendações do Reino Unido e da Alemanha para que seus cidadãos evitem as ilhas e praias espanholas, por causa de um aumento de casos de coronavírus durante o que deveria ser o auge da temporada turística.

Vendo as recomendações se somarem a uma ordem de quarentena do Reino Unido a viajantes que voltam do país, a Espanha, que depende dos veranistas do norte europeu para seu setor turístico, sofreu um golpe duro em suas esperanças de reativar a economia.

O turismo representa 12,3% do Produto Interno Bruto (PIB) espanhol e 12,7% dos empregos, disse o escritório de estatísticas INE com base em dados de 2018. O país perdeu 1 milhão de empregos entre abril e junho, o maior declínio trimestral de sua história.

"É muito injusto, porque não se baseia em nenhum critério sanitário", argumentou Francina Armengol, chefe da importante região turística das Ilhas Baleares, à rádio Cadena Ser a respeito das recomendações de viagem.

Medidas 'discriminatórias'

A região de Aragón disse que as restrições são "discriminatórias" e pediu que a ministra das Relações Exteriores, Arancha González Laya, faça uma queixa formal.

A decisão britânica não tem explicação lógica, disse Armengol, acrescentando que a taxa de contágio do arquipélago é menor do que a do Reino Unido.

Seus comentários estão em linha com os do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, que na segunda-feira disse que é um erro o Reino Unido ter considerado a taxa geral de coronavírus espanhola ao invés de usar uma abordagem regional.

Decisão britânica

Mas Londres não recuou, dizendo que manterá a quarentena repentina anunciada no sábado e sua decisão mais recente de segunda-feira de estender um alerta que desaconselha viagens à Espanha continental e às Ilhas Baleares e Canárias.

O premiê britânico, Boris Johnson, disse nesta terça-feira que o Reino Unido imporá quarentenas a outros países caso as infecções de coronavírus aumentem.

Os britânicos compõem o maior grupo de turistas estrangeiros na Espanha - cerca de 18 milhões deles a visitaram no ano passado, pouco mais de um quinto do total.

O ministro Simon Clarke disse que o governo britânico discordou da avaliação de Sánchez sobre a desproporcionalidade da quarentena sobre viajantes de toda a Espanha e que a decisão foi tomada de boa fé.

A Espanha registrou 278.782 casos de coronavírus e 28.434 mortes até agora, mas a taxa de infecção varia muito de região para região.

Últimas