Internacional Espiã russa presa nos EUA pode fazer acordo e ajudar investigadores

Espiã russa presa nos EUA pode fazer acordo e ajudar investigadores

Maria Butina é suspeita de se infiltrar em grupos republicanos e a Associação Nacional do Rifle durante a campanha presidencial de 2016

Espiã russa presa nos EUA pode fazer acordo e ajudar investigadores

Maria Butina foi presa nos EUA, acusada de espionagem

Maria Butina foi presa nos EUA, acusada de espionagem

FreedomFest via Reuters

A espiã russa Maria Butina, presa por espionagem em julho, teria fechado um acordo judicial com as autoridades dos Estados Unidos para alterar sua defesa de "inocente" para "culpada", informou a imprensa norte-americana nesta segunda-feira (10).

A russa é suspeita de se infiltrar em grupos republicanos e fazer amizade com líderes da Associação Nacional do Rifle durante a campanha eleitoral para presidência de 2016. Butina teria como objetivo persuadir os políticos a satisfazer os interesses de Moscou.

Apesar de insistir que é inocente, Butina continua detida por suspeita de espionagem. No entanto, os promotores e seus advogados de defesa solicitaram em conjunto uma audiência para ela se declarar culpada.

Cooperação com investigadores

Embora nenhum dos lados tenha revelado detalhes sobre o possível acordo, esse provável pacto exigiria que Butina cooperasse com os investigadores, informou o New York Times.

A investigação é separada do trabalho que está sendo feito pelo conselho especial, Robert Mueller, mas as autoridades podem ter a ajuda da russa para obter conhecimento sobre a interferência do governo de Vladimir Putin nas eleições dos EUA.

O tribunal em Washington, responsável pelo caso, ainda não definiu a data para a audiência judicial.