Esposa de policial acusado de matar George Floyd pede divórcio

Kellie Chauvin está "devastada" pela morte de George Floyd causada por seu marido Derek Chauvin e por isso decidiu "dissolver o casamento"

Derek Chauvin, o policial que matou George Floyd

Derek Chauvin, o policial que matou George Floyd

Reprodução YouTube

A esposa do policial branco Derek Chauvin, preso e acusado de matar o homem negro George Floyd em Minneapolis, nos Estados Unidos, anunciou na sexta-feira (29) que pediu o divórcio.

Chauvin é o agente que, conforme diversos vídeos gravados por transeuntes, se ajoelhou durante vários minutos sobre o pescoço de Floyd, que morreu deitado na rua por não conseguir respirar. Quando uma ambulância chegou, levou a vítima sem sinais de vida.

Em comunicado divulgado pelo escritório de advocacia Sekula Law Offices, que representa Kellie Chauvin, um advogado anuncia que a esposa do policial está "devastada" pela morte de Floyd e que por isso decidiu "dissolver o casamento".

"Nesta noite, falei com Kellie Chauvin e sua família. Ela está devastada pela morte do senhor Floyd e compartilha sua simpatia com a família, entes queridos e todos que estão sofrendo com esta tragédia", afirma o comunicado.

"Embora a senhora Chauvin não tenha filhos do casamento atual, respeitosamente solicita que seus filhos, pais e toda a família tenham segurança e privacidade neste momento difícil", acrescenta a mensagem.

Antes do anúncio do divórcio, o chefe do Departamento de Segurança Pública do estado, John Harrington, informou que Chauvin, de 44 anos, havia sido preso.

O promotor do condado de Hennepin (Minnesota), Mike Freeman, revelou que apresentou acusações de homicídio culposo e assassinato em terceiro grau contra Derek Chauvin, que foi expulso da polícia junto com os outros três companheiros que participaram do ato.