Terror na Europa
Internacional Estação de metrô Westminster reabre após alerta de segurança

Estação de metrô Westminster reabre após alerta de segurança

O fechamento da estação ocorreu após homem ter atropelado vários ciclistas e pedestres antes de se chocar com as barreiras do Parlamento britânico

Estação de Westminster reabre após alerta de segurança

Suposto ataque terrorista deixou três feridos

Suposto ataque terrorista deixou três feridos

REUTERS/Henry Nicholls/14.8.2018

A estação de Westminster do metrô de Londres, próxima ao Parlamento britânico, reabriu após a suspensão do alerta de segurança depois de um atropelamento que é investigado como um suposto ato terrorista, nesta terça-feira (14).

O fechamento da estação ocorreu depois que um homem de cerca de 30 anos, que foi detido, atropelou vários ciclistas e pedestres antes de se chocar com as barreiras de segurança do Parlamento.

"A estação de Westminster está aberta de novo", informou a Scotland Yard, que confirmou também que foram retirados todos os cordões policiais na região de Whitehall, área onde estão os principais ministérios britânicos.

Várias testemunhas disseram à Agência Efe que o atropelamento parecia proposital, já que o veículo "estava muito rápido".

"Me pareceu que foi intencional porque o carro virou de forma estranha e se dirigiu para a barreira (que protege o Parlamento) a toda velocidade", disse Jane Hanley à Efe.

O edifício parlamentar está rodeado por barreiras de aço e concreto depois do atentado cometido em março de 2017 na mesma região, que deixou cinco mortos.

"Depois de todos os atentados do ano passado, a gente fica em alerta, mas as pessoas nunca pensam que pode acontecer com elas. A verdade é que é uma pena, porque agora as nossas férias ficaram ligeiramente denegridas", afirmou o mexicano Jorge González, de viagem pela Europa com sua esposa à Agência Efe.

"O positivo de tudo isso é que não houve vítimas mortais. Agora o que é preciso fazer é voltar à normalidade, reforçar os controles de segurança e seguir com a vida. Pela nossa parte não muda nada: vamos seguir fazendo turismo pela cidade sem tomar medidas de precaução em excesso", acrescentou.