Estado Islâmico
Internacional Estado Islâmico crucifica dois menores na Síria por não jejuar durante o Ramadã

Estado Islâmico crucifica dois menores na Síria por não jejuar durante o Ramadã

Os extremistas penduraram no pescoço dos menores cartazes nos quais se podia ler: "não jejuar em Ramadã"

Estado Islâmico crucifica dois menores na Síria por não jejuar durante o Ramadã

O grupo jihadista EI (Estado Islâmico) crucificou nesta segunda-feira (22) dois menores de idade no nordeste da Síria que foram acusados de não jejuar no Ramadã, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As vítimas foram penduradas em uma cerca de um quartel da "hisba", corpo parapolicial do EI, na rua Al Bukamal da cidade de Al Mayadin, uma das fortificações dos jihadistas na província nordeste síria de Deir al Zur.

Os extremistas penduraram no pescoço dos menores cartazes nos quais se podia ler: "não jejuar em Ramadã". Os assassinatos, como crucifições, decapitações e lapidações, costumam ser usados pelo EI como meio de propaganda e para aterrorizar a população.

Estado Islâmico vende, crucifica e enterra crianças vivas no Iraque, diz ONU

Na quinta-feira (18) passada, começou na Síria, da mesma forma que em outros países da região, o mês sagrado muçulmano do Ramadã, quando os fiéis ficam em jejum entre a alvorada e o crepúsculo, mudam seus comportamentos sociais e prodigalizam seus mostras de piedade para se sentir mais perto de Alá.

O EI, que proclamou um califado no território sírio e o iraquiano há quase um ano, aplica uma versão estrita da sharia ou lei islâmica nas zonas que domina. 

Estado Islâmico executa e crucifica 12 homens no nordeste da Síria