Estado Islâmico
Internacional Estado Islâmico ensina como fazer ataques na Times Square, em NY

Estado Islâmico ensina como fazer ataques na Times Square, em NY

O EI indica o uso de velas, água sanitária, açúcar e fósforos para construir bombas

Estado Islâmico ensina como fazer ataques na Times Square, em NY

Pontos turísticos de Nova York estariam sendo ameaçados pelos radicais islâmicos

Pontos turísticos de Nova York estariam sendo ameaçados pelos radicais islâmicos

Wikimedia Commons

O grupo terrorista EI (Estado Islâmico) divulgou nesta quarta-feira (17), por meio de seu fórum online, instruções para ataques "solitários" na Times Square e em outros pontos turísticos de Nova York. 

O EI indica o uso de velas, água sanitária, açúcar e fósforos para construir bombas. A postagem já havia sido divulgada há três semanas, mas foi publicada novamente nas últimas 24 horas. A nota ressalta a urgência de começar a agir contra os Estados Unidos.

Chamada de "Para os lobos solitários na América: como construir uma bomba em sua cozinha e transformar locais turísticos em cenas de terror", o texto também pede ataque em pontos do Texas, Las Vegas e estações de trens de áreas metropolitanas de todo o país.

O chefe da polícia de Nova York, Bill Bratton, afirmou estar preocupado com a situação, já que essa "é a primeira vez que o EI usa esse canal de comunicação para inspirar ataques" no estilo do atentado da Maratona de Boston. 

Discurso de Obama para militares

O presidente dos EUA, Barack Obama, teve uma reunião hoje em Tampa, na Flórida, com os generais das Forças Armadas para planejar detalhes da estratégia militar que será adotada contra os jihadistas.

Estado Islâmico derruba avião militar sírio, diz grupo de monitoramento

EUA lançam primeiro ataque aéreo contra o Estado Islâmico nos arredores de Bagdá

Ação contra Estado Islâmico pode prevenir genocídio, diz Otan

Após a reunião, ele teve um encontro com soldados e militares de todas as áreas de defesa dos EUA e afirmou que "mais de 40 países estão empenhados na luta contra o Isis" sendo que "30 deles estão focados em ajuda humanitária" àqueles que são perseguidos pelos terroristas.

Segundo o presidente, os militares são "cristãos, xiitas, sunitas, muçulmanos e de várias religiões", pois o EI "não está em guerra só contra os EUA", mas é uma "ameaça para o mundo todo".

"Não haverá nenhum refúgio seguro para os terroristas que nos ameaçam. Vamos degradar e finalmente destruir o Estado Islâmico com nossa estratégia. Eles não fazem ameaças específicas aos EUA", mas serão "um problema" caso não sejam combatidos, afirmou Obama em discurso.

Apesar disso, o presidente norte-americano confirmou que "as tropas norte-americanas não farão uma missão em terra no Iraque" e que ele "não colocará vocês [soldados] e o resto das Forças Armadas em uma nova guerra".

Ele ainda destacou que o "fim da guerra do Afeganistão não foi o fim da luta contra o terrorismo no mundo, mas que por causa de vocês [militares] Osama bin Laden já não existe mais. Os EUA seguirão sendo a maior força que o mundo já conheceu em favor da liberdade".

O mandatário ainda destacou que "entre a guerra e a recessão" não foi um início fácil para um novo século, mas assim como aconteceu no passado, esse será o "século da América".

Grupos ligados à Al Qaeda pedem união de militantes no Iraque e na Síria