Estátua de manifestante negra é retirada da cidade inglesa de Bristol

Equipe de artista colocou a estátua de Jen Reid, manifestante do Black Lives Matter, no pedestal onde, desde 1895, estava a imagem de Edward Colston

A escultura representa Jen Reid, uma local que esteve nos protestos

A escultura representa Jen Reid, uma local que esteve nos protestos

Neil Hall/EFE/EPA - 15.7.2020

estátua de uma manifestante negra com punho levantado, que substituiu a de um comerciante de escravos do século XVII na cidade de Bristol, na Inglaterra, foi removida nesta quinta-feira (16) por ordem do Conselho Municipal, considerando que a peça foi colocada sem autorização.

Hoje pela manhã, vários funcionários municipais realizaram a remoção da escultura, obra do artista britânico Marc Quinn, que, em metal e resina preta, representa Jen Reid, uma moradora da cidade.

O Conselho da Cidade de Bristol observou que o trabalho será colocado no museu da cidade para que seu autor "recolha e doe" a escultura.

A equipe de Quinn colocou a estátua no pedestal onde, desde 1895, estava a imagem de Edward Colston, ex-deputado conservador e benfeitor da cidade, conhecido por negociar escravos durante o século XVII.

A estátua de Colston foi jogada no rio em um protesto antirracismo como parte do movimento "Black Lives Matter" ("Vidas Negras Importam"), em 7 de junho, ato em que a manifestante Jen Reid estava presente, cujo trabalho a retrata na posição em que ela foi fotografada no dia do protesto.

A mulher disse que sentiu "o desejo de escalar o pedestal vazio e levantar o punho contra o racismo" e em repulsa ao assassinato do negro George Floyd durante uma abordagem policial feita por um agente branco, em 25 de maio, nos Estados Unidos.