Novo Coronavírus

Internacional Estudantes mexicanos voltam às aulas com 'emoção e nervosismo'

Estudantes mexicanos voltam às aulas com 'emoção e nervosismo'

Cerca de 1,6 milhão de alunos retornaram às escolas em um esquema voluntário, após 15 meses de ensino à distância

AFP
Funcionária faz higienização de aluna em escola na Cidade do México

Funcionária faz higienização de aluna em escola na Cidade do México

Claudio Cruz / AFP - 7.6.2021

Pouco mais de 1,6 milhão de estudantes mexicanos foram nesta segunda-feira (7) às suas escolas em um retorno gradual e voluntário às aulas presenciais, após quase 15 meses de aprendizado virtual, devido à pandemia de covid-19.

Leia também: México usará vacinas doadas pelos EUA para reabrir a fronteira norte

Com máscara, Iris García, aluna do terceiro ano, ansiava reencontrar seus colegas em uma escola do ensino fundamental do leste da Cidade do México, onde os professores a aguardavam com álcool gel e termômetro nas mãos.

"Sinto emoção e um pouco de nervosismo de ver meus colegas novamente", disse à AFP Iris, de 9 anos, ao lado do avô, que entregou um certificado médico para descartar sintomas de doença respiratória na menina.

Crianças em idade escolar de 13 estados de um total de 32 voltam às aulas após suas regiões passarem à cor verde no chamado semáforo epidemiológico.

Ao autorizar o retorno de 25 milhões de estudantes de escolas públicas e privadas, o governo determinou que a volta seja voluntária.

Concluída este primeiro dia de volta às aulas, a secretaria de Educação Federal (SEP) informou em um comunicado que "voltaram às aulas presenciais" 1,6 milhão de estudantes de 24.406 instituições de ensino fundamental ao superior.

Apesar de o país completar 21 semanas com os indicadores da pandemia em queda, após o avanço da vacinação, nos centros educacionais será mantido um estrito protocolo sanitário que prevê o fechamento imediato assim que um caso positivo for detectado.

O México, com 126 milhões de habitantes, acumula quase 229.000 mortes por covid-19 - é o quarto país do mundo em números absolutos - e sua taxa de mortalidade por 100.000 habitantes é a vigésima primeira.

Retorno gradual

Segundo um modelo da Secretaria de Educação Pública (SEP), os menores só poderão assistir às aulas dois dias por semana em jornadas de quatro horas; outros dois dias serão de aulas on-line e às sextas-feiras será oferecida ajuda extra a alunos que pedirem.

Ivoon Ponciano, estudante do sexto ano, comentou que vivia um sentimento de "estranhamento" porque a princípio apenas poucos colegas vão voltar.

"Minha mãe achou boa a ideia de retornar (à escola). Foram meses muito difíceis, estranhos, todo mundo com máscaras e ruas vazias", disse Ponciano, de 12 anos.

Nancy Guillén, diretora de uma escola de ensino fundamental do município de Iztacalco, na capital, disse que a princípio receberão 140 crianças, um terço do total. "Estamos entusiasmados porque esta escola é a nossa casa", afirmou.

A docente admitiu, no entanto, que há incertezas entre alguns pais de alunos, que temem um contágio.

Até agora, 25% da população mexicana foi vacinada contra o coronavírus, incluindo 2,5 milhões de professores que representam 88% do pessoal de educação.

"Nosso principal desafio será em todo caso que os pequenos permaneçam pelo menos quatro horas com máscaras", disse Guillén, de 54 anos.

A prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, informou que nesta segunda abriram 1.103 escolas - 387 públicas e 716 privadas - e estima-se que 80.000 alunos e 10.000 professores retornaram aos colégios.

Últimas