Internacional EUA anunciam novo pacote de sanções contra pessoas e instituições russas

EUA anunciam novo pacote de sanções contra pessoas e instituições russas

Foco do governo norte-americano foram os meios de comunicação da Rússia e uma empresa de produção de armas do país

Agência EFE
Ocidente tenta estrangular financeiramente aliados do presidente da Rússia, Vladimir Putin

Ocidente tenta estrangular financeiramente aliados do presidente da Rússia, Vladimir Putin

Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP - 8.5.2022

O governo dos Estados Unidos anunciou neste domingo (8) sanções diferentes pessoas e instituições russas, entre eles, 27 diretores do banco Gazprombank, as emissoras de televisão Channel One, Rossiya e NTV, e a empresa de armas Promtekhnologiya, em resposta à invasão da Ucrânia.

A Casa Branca anunciou as medidas depois da reunião virtual dos líderes do G7, em que discursou o presidente ucraniano, Volodmir Zelenski.

Um funcionário do alto escalão do governo americano disse à imprensa que as sanções contra os diretores do Gazprombank buscam dar um "aviso" à instituição financeira, filial da companhia energética Gazprom, que é a única via autorizada pelo Kremlin para que os países da União Europeia façam pagamentos pelo gás russo.

Contudo, como as medidas de penalização não se dirigem ao banco em si, mas aos seus diretores, os integrantes do bloco comunitário poderão seguir fazendo transações com a Rússia, segundo a fonte.

Washington também adotou sanções contra oito membros da cúpula do Sberbank, o mais importante entre os russos, que representa 37% do sistema financeiro local, já que tinha sido alvo de medidas dos Estados Unidos.

Como resultado das ações adotadas hoje, ficam revogados os vistos que poderiam ter para entrar nos Estados Unidos os indíviduos sancionados.

Ao todo, a Casa Branca adotou medidas similares contra 2,6 mil pessoas, que fazem parte da elite russa ou integrantes do governo da Rússia e de Belarus, que, supostamente, teriam ajudado a realizar ataques contra a soberania da Ucrânia ou violaram os direitos humanos.

Por outro lado, o governo americano sancionou três emissoras de televisão, Channel One, Rossiya e NTV, esta última, propriedade do grupo de comunicação Gazprom-Media, que é subsidiário da Gazprom.

Os Estados Unidos acusa os meios de comunicação de terem se tornado parte da "máquina de propaganda" do presidente russo, Vladimir Putin.

As três emissoras ficam proibidas de adquirir tecnologia que precisam para fazer transmissões, como câmeras e microfones fabricados nos Estados Unidos, até equipes de som e sistemas de iluminação.

Além disso, Washington anunciou sanções contra a Promtekhnologiya, empresa que produz rifles e outras armas usadas pelas tropas russas na Ucrânia, assim como contra sete companhias de navegação, que possuem e operam 69 navios e uma empresa de reboque marítimo.

Também ficará proibida a venda à Rússia por parte de empresas americanas de materiais industriais que possam ser usados na guerra da Ucrânia, como escavadeiras, motores industriais, ventiladores, caldeiras e produtos de madeira.

Além disso, o governo presidido por Joe Biden decretou que as companhias dos Estados Unidos não poderão prestar serviços de contabilidade e assessoria para qualquer pessoa ou instituição russa.

Por fim, a Comissão Reguladora Nuclear, agência intergovernamental americana, suspenderá as licenças que permitiriam a exportação para a Rússia de alguns materiais com urânio e plutônio.

As sanções entrarão em vigor entre hoje e amanhã, segundo explicou a fonte da Casa Branca.

Últimas