Crise na Venezuela
Internacional EUA aplicarão sanções à petrolífera venezuelana PDVSA

EUA aplicarão sanções à petrolífera venezuelana PDVSA

País continuará comprando petróleo de venezuelanos, mas dinheiro irá para contas bloqueadas que serão acessadas por futuro governo

eua sanções petróleo Venezuela

Pronunciamento foi feito pelo Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin

Pronunciamento foi feito pelo Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin

Reuters/Jim Young - 28.01.2019

Os Estados Unidos sancionarão a companhia estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) dentro do processo de pressão contra o governo de Nicolás Maduro, a quem não reconhece como líder legítimo, disse Steven Mnuchin, secretário do Tesouro americano, em entrevista coletiva na Casa Branca nesta segunda-feira (28).

"A designação da PDVSA ajudará a evitar futuros desvios de ativos da Venezuela por Maduro e manter esses ativos para o povo venezuelano. O caminho de suspensão destas sanções à PDVSA é através da rápida transferência do controle para o presidente interino ou um governo posterior, eleito democraticamente", disse Mnuchin.

Leia a cobertura completa da Crise na Venezuela

Venezuela: Guaidó fala à nação e anuncia manifestações

Maduro diz estar disposto a conversar com Guaidó

Na última quarta-feira (23), o chefe do Parlamento venezuelano, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente em exercício do país, recebendo em seguida apoio dos Estados Unidos, do Brasil e de vários países latino-americanos. Alguns governos, como os de Alemanha, Reino Unido e França, exigiram que Maduro convoque eleições em curto prazo, enquanto outros, como os de China e Rússia, mantiveram respaldo ao atual mandatário.

O secretário do Tesouro dos EUA ressaltou que, "com efeito imediato, em qualquer compra de petróleo venezuelano, o dinheiro terá que ir para contas bloqueadas".

Desta forma, os Estados Unidos mantêm as compras de petróleo venezuelano, do qual é um dos principais consumidores, mas os recursos resultantes serão controlados por Guaidó.