Coronavírus

Internacional EUA aprovam terceira dose de vacinas a partir de 20 de setembro

EUA aprovam terceira dose de vacinas a partir de 20 de setembro

Autoridades sanitárias norte-americanas ressaltam que eficácia dos imunizantes começa a declinar com o tempo

AFP
Aprovação da terceira dose nos EUA tem relação com queda de eficácia dos imunizante com o tempo

Aprovação da terceira dose nos EUA tem relação com queda de eficácia dos imunizante com o tempo

Patrick T. FALLON / AFP

Os americanos que receberam as vacinas anticovid-19 da Pfizer e da Moderna poderão receber uma terceira dose oito meses depois da segunda, a partir de 20 de setembro - disseram autoridades sanitárias nesta quarta-feria (18), ressaltando que a eficácia da injeção diminui "com o tempo".

"Os dados disponíveis mostram claramente que a proteção contra a infecção por SARS-CoV-2 começa a declinar com o tempo, depois das primeiras doses da vacina", conforme um comunicado conjunto de altos funcionários, entre eles a diretora dos Centros de Prevenção e Controle de Doenças (CDCs), Rochelle Walensky, e a diretora interina da a agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), Janet Woodcock.

Leia mais: Passe vacinal em comércio se torna obrigatório na França

"Somado à prevalência da variante Delta, estamos começando a ver evidências de uma proteção reduzida contra casos leves e moderados da doença", acrescentou.

"Estamos prontos para oferecer doses de reforço para todos os americanos a partir da semana de 20 de setembro, a partir de oito meses após a segunda dose", afirma o comunicado, também assinado pelo assessor da Casa Branca para a pandemia, Anthony Fauci.

Essa decisão, no entanto, depende da autorização oficial de uma dose adicional dessas duas vacinas pela Agência Federal de Drogas e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA), foi esclarecido.

Os primeiros a se beneficiarem desta dose de reforço serão as pessoas estabelecidas em "lares para idosos", "outras de idade avançada" e "muitos profissionais de saúde", que foram as primeiras categorias da população a serem vacinadas nos Estados Unidos.

Leia mais: Israel adota novas medidas após aumento de casos de covid-19

As primeiras injeções da vacina foram administradas nos Estados Unidos em dezembro de 2020, quando os antivirais da Pfizer e da Moderna foram autorizados de urgência com apenas uma semana de diferença.

Uma dose de reforço também, "provavelmente, seja necessária" para as pessoas que receberam uma única injeção da vacina Johnson & Johnson, asseguraram autoridades de saúde.

Últimas