Novo Coronavírus

Internacional EUA: Casa Branca quer reabrir escolas a qualquer custo

EUA: Casa Branca quer reabrir escolas a qualquer custo

Porta-voz da Casa Branca diz que crianças devem retornar à escola mesmo se ficar comprovado que elas podem transmitir o novo coronavírus

Reuters
Kayleigh McEnany, porta-voz de Trump, defendeu abertura das escolas em setembro

Kayleigh McEnany, porta-voz de Trump, defendeu abertura das escolas em setembro

Leah Millis / Reuters - 24.7.2020

As crianças devem voltar para a escola mesmo se for comprovado que elas transmitem o novo coronavírus, que já matou mais de 140 mil pessoas nos Estados Unidos, disse nesta sexta-feira (24) a secretária de Imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany.

Leia também: Estados Unidos superam 4 milhões de casos confirmados de covid-19

O presidente norte-americano, Donald Trump, tem defendido a reabertura das escolas do país, que fecharam de forma abrupta na primavera (do Hemisfério Norte), quando o coronavírus começou a se espalhar pelos EUA — apesar das preocupações de professores e famílias sobre a possibilidade de as crianças contraírem ou transmitirem a doença quando voltarem às salas de aula.

"Mesmo que haja a transmissão e estudos sejam publicados no futuro, digamos assim, nós acreditamos que os estudantes devem voltar para a escola porque o efeito em uma criança, nós sabemos — cientificamente, eles não são afetados da mesma maneira que um adulto", disse McEnany em entrevista coletiva.

Ela respondia a uma pergunta sobre comentários feitos pela médica Deborah Birx, que faz parte da força-tarefa da Casa Branca para o coronavírus, a respeito do comportamento da doença em crianças.

Questão em aberto

Birx disse nesta sexta-feira, ao programa de TV "Today", que "ainda há uma questão em aberto" sobre a velocidade com que crianças com menos de 10 anos propagam a doença. Ela citou um estudo sul-coreano que indicou que pessoas com menos de 10 anos transmitem o vírus em menor nível, enquanto as crianças com mais de 10 anos têm a mesma taxa de transmissibilidade que adultos.

Birx também afirmou que crianças com comorbidades podem "sofrer consequências terríveis" se forem infectadas.

Últimas