Internacional EUA: casal é detido por vender informações sobre navios nucleares

EUA: casal é detido por vender informações sobre navios nucleares

Dupla se comunicou por mais de um ano com agente do FBI que acreditava ser representante de um país estrangeiro

AFP
Agente do FBI se passou por representante de país estrangeiro

Agente do FBI se passou por representante de país estrangeiro

Wikimedia Commons

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos informou neste domingo (10) que um casal americano foi preso na Virgínia sob a acusação de vender informações sobre navios nucleares para o que acreditava ser um país estrangeiro.

Por quase um ano, o casal "vendeu informações conhecidas e dados restritos sobre o projeto de navios nucleares a uma pessoa que acreditava representar um país estrangeiro", acrescentou o comunicado. O destinatário era um agente do FBI disfarçado.

Jonathan Toebbe, que por meio de seu trabalho teve acesso a dados restritos sobre navios de guerra movidos a energia nuclear, colaborou com sua esposa para entregar dados sobre reatores nucleares de submarinos em troca de US$ 100 mil (aproximadamente R$ 550 mil) em criptomoedas, de acordo com um depoimento incluído na denúncia.

Em abril de 2020, Toebbe enviou um pacote a um governo estrangeiro que continha "uma amostra restrita de dados e instruções para estabelecer um relacionamento clandestino", de acordo com o documento.

A denúncia diz que o FBI interceptou o pacote e um agente disfarçado fingiu ser um representante daquele governo estrangeiro para estabelecer uma relação com o casal.

O agente enviou a Jonathan Toebbe, que usava o pseudônimo de 'Alice', um email oferecendo a ele um presente como agradecimento pelos dados. No entanto, Toebbe respondeu com cautela e pediu para estabelecer um local de entrega e cobrar em criptomoedas.

Nos meses seguintes, o casal transferiu vários cartões de memória SD com dados ao agente. Na primeira entrega, "o cartão SD foi embrulhado em plástico entre as fatias de pão de um sanduíche de pasta de amendoim", afirmou o agente na denúncia.

Outros cartões foram escondidos em um pacote de chiclete e um band-aid. O casal, na casa dos 40 anos, foi preso no sábado (9) enquanto entregava outro cartão SD.

O procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick Garland, elogiou as agências envolvidas por "frustrar o complô" e dar "o primeiro passo para levar os criminosos à Justiça", disse o comunicado.

O Departamento de Defesa não quis comentar a notícia quando contatado pela AFP. O casal comparecerá a um tribunal federal da Virgínia na terça-feira (12).

Os submarinos nucleares americanos estiveram recentemente no centro das atenções quando a Austrália e a Grã-Bretanha revelaram um novo contrato de defesa negociado secretamente durante vários meses.

Últimas