Internacional EUA: chega a 96 número de vítimas identificadas em desabamento

EUA: chega a 96 número de vítimas identificadas em desabamento

Jovem canadense de 24 anos havia viajado para Miami para passar as férias com uma amiga; ambas morreram no desastre

Agência EFE
Autoridades em Miami identificaram 96 mortos em desabamento

Autoridades em Miami identificaram 96 mortos em desabamento

Courtesy of Miami-Dade Fire Rescue Department / Handout via REUTERS - 5.7.2021

As autoridades relataram na quarta-feira (21) a identificação de uma nova vítima do desabamento de um edifício residencial no condado de Miami-Dade, na Flórida, e com isso 96 dos 97 mortos na tragédia já tiveram seus nomes confirmados.

De acordo com a última atualização das autoridades de Miami-Dade, 96 pessoas já foram identificadas e as famílias notificadas, incluindo 95 corpos recuperados dos escombros e uma mulher que morreu em um hospital.

A última vítima identificada foi Anastasiya Gromova, de 24 anos, cujo corpo foi retirado dos escombros no último domingo. Ela residia em Montreal, no Canadá, e tinha viajado para Miami para umas férias em Surfside a convite da amiga Michelle Pazos, uma ex-companheira de classe da Universidade de Montreal. Ambas morreram no colapso parcial do edifício.

Além dos americanos, as vítimas incluem argentinos, cubanos, uruguaios, colombianos, chilenos, venezuelanos, paraguaios e israelenses, entre outras nacionalidades, e 272 famílias estão recebendo serviços através do centro de assistência familiar.

As autoridades do condado reconhecem que, na atual fase de recuperação de corpos, tem se tornado cada vez mais complicado identificar as vítimas e que depende em grande parte do trabalho do consultório do médico legista e da análise científica e técnica dos restos mortais.

A prefeita de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, declarou nesta quarta-feira que o local do desmoronamento do edifício foi limpo em sua maioria e os escombros foram levados para uma área próxima ao aeroporto como evidência, enquanto as equipes de resgate continuam trabalhando "com enorme cuidado e diligência". "Em colapsos como este é muito difícil recuperar todos os restos humanos", ponderou.

Um juiz disse em audiência nesta quarta-feira que as pessoas afetadas pelos desabamentos e os familiares das vítimas receberão incialmente US$ 150 milhões em indenização. O valor vem do pagamento do seguro e da esperada venda do terreno em que se encontrava o condomínio de 12 andares, que desabou nas primeiras horas de 24 de junho por razões ainda sob investigação federal.

A audiência judicial também proporcionou uma oportunidade para as vítimas, familiares e proprietários de alguns dos mais de 130 apartamentos que uma vez abrigaram o condomínio para expressar suas opiniões sobre o que fazer com o terreno, que está avaliado em cerca de US$ 100 milhões.

Enquanto alguns querem que um novo condomínio seja construído no local, outros discordaram, propondo, em vez disso, que um memorial. O edifício estava no meio de um processo de recertificação, um levantamento estrutural e elétrico exigido por lei para um prédio de 40 anos.

Últimas