Guerra civil na Síria: veja a cobertura completa
Internacional EUA dizem ter provas de que Assad realizou ataque químico

EUA dizem ter provas de que Assad realizou ataque químico

Informação é do Departamento de Estado, que ainda acompanha trabalhos para identificar a mistura de químicos usada

eua ataque químico síria

Departamento de Estado americano acusa governo sírio

Departamento de Estado americano acusa governo sírio

White Helmets/Divulgação via REUTERS/07.04.2018

Os Estados Unidos têm provas "em um nível muito alto de confiança" de que o governo sírio executou o recente ataque com armas químicas em Douma, mas ainda estão trabalhando para identificar a mistura de químicos usada, disse o Departamento de Estado nesta sexta-feira (13).

Além de culpar o governo sírio, o governo americano criticou a Rússia por falhar em parar seu aliado, o presidente sírio Bashar al-Assad.

No momento em que a perspectiva de uma ação militar comandada pelos EUA que poderia levar a um confronto com a Rússia paira sobre o Oriente Médio, a Casa Branca acusou a Síria de realizar um ataque com gás tóxico em 7 de abril que matou dezenas de pessoas em Douma, perto de Damasco.

"Temos uma confiança muito alta de que a Síria foi responsável, e mais uma vez, o fracasso da Rússia em pará-los e sua contínua falta de ação nesta frente têm sido parte do problema", disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

A inteligência dos EUA mostra que uma alegação da Rússia de que o ataque foi encenado é falsa, disse Sanders. "A nossa inteligência nos diz outra coisa. Eu não posso ir além disso", disse ela a repórteres.

O Departamento de Estado disse os Estados Unidos têm provas em "um nível muito alto de confiança" de que o governo sírio executou o ataque, mas ainda está trabalhando para identificar a mistura de agentes químicos usados.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou na quarta-feira que mísseis seriam lançados em resposta ao ataque em Douma, cidade que vinha sendo controlada por rebeldes até este mês.

Especialistas em armas químicas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) chegaram à Síria para investigar o suposto ataque com gás venenoso.

Os investigadores, que só foram enviados para determinar se armas químicas foram usadas e não quem as usou, devem começar suas investigações sobre o incidente em Douma no sábado, disse a agência baseada na Holanda.

Questionada se os Estados Unidos estavam esperando pelo relatório da Opaq antes de tomar uma decisão sobre a Síria, a porta-voz do Departamento de Estado Heather Nauert disse: "nós acreditamos que sabemos quem é responsável por isso. Nós sabemos que uma arma química foi usada."

"A Opaq ainda formulará seus fatos, mas a Opaq não determina a responsabilidade, eles apenas determinam a substância", disse Nauert.

Rússia alerta EUA sobre "graves repercussões" se Síria for atacada

"Nós podemos dizer que o governo sírio está por trás do ataque", disse a porta-voz do Departamento de Estado Heather Nauert em um briefing. Questionada se os Estados Unidos tinham provas disso, ela disse que sim.

Nauert afirmou que uma equipe da Organização pela Proibição de Armas Químicas chegaria a Síria no sábado para coletar evidências.