EUA e Coreia do Norte divergem sobre desnuclearização

Representantes apresentaram resultados diferentes após reunião. Norte coreanos falam em suspender diálogos e americanos em novo encontro

Países divergem sobre resultados de reunião

Países divergem sobre resultados de reunião

Kevin Lamarque/ Reuters - 30.06.2019

Representantes de Estados Unidos e Coreia do Norte apresentaram versões diferentes sobre os resultados de uma reunião realizada neste sábado (5), na Suécia, para discutir a desnuclearização do regime liderado por Kim Jong-un.

Ao término da reunião, o chefe da equipe de negociação da Coreia do Norte, Kim Myong-gil, afirmou que seu país decidiu suspender o diálogo pela intransigência dos americanos quanto ao desarmamento. Já funcionários do Departamento de Estado dos EUA disseram que as conversas foram boas, e que as partes devem se reunir outra vez daqui duas semanas.

Myong-gil falou primeiro com os jornalistas após a conclusão da reunião realizada em Estocolmo, capital da Suécia, e reclamou da postura inflexível da delegação americana no encontro, uma tentativa de fazer avançar as negociações sobre a desnuclearização que estão travadas desde fevereiro.

"As negociações não atenderam nossas expectativas e foram interrompidas", disse Myong-gil.

Horas depois, em comunicado, a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Morgan Ortagus, disse que a avaliação do representante de Kim Jong-un não "reflete o atual espírito da negociação". "Fornecemos boas ideias e tivemos uma boa conversa com nossos colegas norte-coreanos", afirmou.

Segundo Ortagus, as equipes dos dois governos "revisaram os eventos" ocorridos desde a cúpula entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em Singapura, no dia 12 de junho de 2018. Na ocasião, eles se comprometeram a trabalhar pela completa desnuclearização da península coreana, mas não estabeleceram como o processo seria conduzido.

A porta-voz do Departamento de Estado dos EUA também confirmou que o governo americano aceitou um convite da Suécia para voltar a Estocolmo daqui duas semanas e continuar dialogando com os norte-coreanos.

"EUA e Coreia do Norte não superarão um legado de 70 anos de hostilidades na península da Coreia em um só sábado. Os temas são importantes e requerem um compromisso dos dois países", ressaltou Ortagus.