Novo Coronavírus

Internacional EUA já têm mais de 300 mil mortes por conta da covid-19

EUA já têm mais de 300 mil mortes por conta da covid-19

No dia em que teve início a vacinação da população contra o coronavírus, o país mais atingido do mundo chegou a mais uma triste marca em óbitos

  • Internacional | Do R7, com EFE

Nova York segue esvaziada em meio à pandemia de covid-19

Nova York segue esvaziada em meio à pandemia de covid-19

Justin Lane / EFE - EPA - 11.12.2020

No mesmo dia em que a vacinação contra o novo coronavírus começou para a população dos EUA, o país mais atingido pela pandemia no mundo bateu uma nova e triste marca: já são mais de 300 mil mortos pela covid-19 desde o mês de março, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Leia também: EUA batem recorde no número de internados com covid-19

Os EUA, que também contabilizam mais de 16,3 milhões de casos de contaminação pelo coronavírus, estão em um momento delicado, com recordes de novos casos, óbitos e internações.

Esperança na imunização

O número recorde de mortes foi atingido poucas horas após o início da campanha de vacinação nos EUA, com 2,9 milhões de doses enviadas para mais de 600 pontos em todo o país, que tem registrado uma média de mais de 200 mil contágios por dia.

As autoridades esperam que com a nova vacina da Pfizer — recém-autorizada — e a iminente aprovação de mais três, desenvolvidas pelas companhias Moderna, Johnson & Johnson e AstraZeneca, todos os americanos que desejam ser vacinados possam fazê-lo até o final do segundo trimestre de 2021.

A primeira americana a receber a vacina foi a enfermeira Sandra Lindsay, que trabalha na unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital no distrito do Queens, na cidade de Nova York, onde em abril havia mais de 3.500 pacientes com covid-19.

"Minha profissão está profundamente enraizada na ciência, e posso dizer que é seguro tomar a vacina. Já vi a alternativa, e não quero isso, por isso encorajo todos a se vacinarem, a seguirem os especialistas e a não desistirem", disse Lindsay a jornalistas.

Últimas