Internacional EUA pedem que cubanos e haitianos não venham pelo mar

EUA pedem que cubanos e haitianos não venham pelo mar

Governo norte-americano faz apelo a população dos dois países do Caribe e diz que patrulhas marítimas serão ampliadas

Agência EFE
Secretário de Segurança dos EUA fez apelo para caribenhos não tentarem migração pelo mar

Secretário de Segurança dos EUA fez apelo para caribenhos não tentarem migração pelo mar

Sarah Silbiger / Pool via EFE - EPA - 30.6.2021

O secretário de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, pediu nesta terça-feira (13) para que os cidadãos de Cuba e Haiti, países que enfrentam crises políticas, não arrisquem suas vidas tentando entrar no território americano de forma irregular pelo mar, e advertiu que a entrada não será permitida.

Leia também: Cuba confirma morte de um homem durante protesto

"Nenhum imigrante interceptado no mar, independentemente da nacionalidade, será autorizado a entrar nos EUA", disse em entrevista coletiva Mayorkas, que nasceu em Cuba e é o primeiro imigrante a comandar o Departamento de Segurança Nacional americano.

Segundo o secretário, os migrantes que tentam entrar nos EUA de "de forma irregular" continuarão sendo interceptados e as operações no estreito da Flórida e no mar do Caribe "permanecem sem mudanças".

"Nunca é o momento adequado de tentar a migração pelo mar. Não vale a pena correr este risco", declarou Mayorkas, ao enfatizar que o governo está "acompanhando de perto" as situações em Cuba e Haiti.

Nesse contexto, ratificou o compromisso do governo do presidente Joe Biden de apoiar o Haiti em busca de justiça após o assassinato do mandatário Jovenel Moise e confirmou o envio de três funcionários de seu departamento como parte de uma delegação americana.

"Também nos solidarizamos com o povo cubano", acrescentou.

Entretanto, observou que a Guarda Costeira e os seus parceiros estaduais, locais e federais estão "monitorizando qualquer atividade que possa indicar um aumento da migração marítima insegura e irregular no Estreito da Florida, incluindo partidas não autorizadas de navios da Flórida para Cuba".

Últimas