Guerra civil na Síria: veja a cobertura completa
Internacional EUA prometem novo ataque caso Síria volte a usar armas químicas

EUA prometem novo ataque caso Síria volte a usar armas químicas

Embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, diz que país está preparado para manter pressão sobre regime de Bashar al-Assad

eua-ataque-siria

Navio dos EUA dispara míssil Tomahawk durante ataque à Síria

Navio dos EUA dispara míssil Tomahawk durante ataque à Síria

Reprodução/Reuters

Os Estados unidos estão preparados para atacar novamente a Síria, caso o governo de Bashar al-Assad volte a usar armas químicas. A declaração foi feita pela embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley, durante reunião de emergência na sede da organização, em Nova York, neste sábado (14).

"Estamos confiantes de que enfraquecemos o programa de armas químicas da Síria. Estamos preparados para sustentar essa pressão, se o regime sírio for tolo o suficiente para testar nossa vontade", disse Haley. A embaixadora também acrescentou: "Quando nosso presidente traça uma linha vermelha, nosso presidente impõe uma linha vermelha."

O governo sírio, apoiado pela Rússia, nega o envolvimento no ataque químico em Douma que motivou a operação militar do ocidente. Em conversa por telefone com o presidente iraniano, Hassan Rouhani, Assad prometeu "esmagar o terrorismo" após a ofensiva realizada por Estados Unidos, França e Reino Unido.

Embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley

Embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley

Reprodução/Reuters

Hailey também aproveitou a conferência para criticar a posição adotada pela Rússia em proteger o governo Assad e acusou Moscou de encorajar o regime sírio a continuar os ataques. Por sua vez, o embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, classificou a operação norte-americana como uma "aventura militar ilegal".

ONU quer evitar escalada na Síria

Diante da animosidade entre os dois lados do conflito, secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu o fim da ação militar em troca de ações deplomáticas. Ele também classificou a situação síria como "a mais séria ameaça à paz e segurança internacionais".

Secretário-geral da ONU pede solução política

Secretário-geral da ONU pede solução política

Reprodução/Reuters

"Não há solução militar para a crise. A solução deve ser política", pontuou o secretário.

Guterres também informou que investigadores foram enviados à Síria para visitar o local do suspeito ataque com armas químicas, gatilho para a operação militar deste sábado.

Confira as imagens do ataque liderado pelos Estado Unidos na Síria: