Internacional EUA: quase 80% citam extremismo na internet como causa de tiroteios

EUA: quase 80% citam extremismo na internet como causa de tiroteios

Falhas no sistema de saúde mental do país e discurso inflamado de políticos também são citados como 'culpados' por ataques a tiros, diz pesquisa

Tiroteios nos EUA

Tiroteios em El Paso e Ohio deixaram mais de 30 mortos em agosto

Tiroteios em El Paso e Ohio deixaram mais de 30 mortos em agosto

REUTERS/04.08.2019

Cada vez mais americanos acreditam que a propagação de visões extremistas na internet contribui para os tiroteios em massa nos Estados Unidos. É o que revela um levantamento da Gallup, empresa de pesquisa de opinião do país, publicado nesta quinta-feira (12).

Segundo o estudo, 79% dos entrevistados acreditam que o extremismo divulgado na internet é um dos fatores que tem "muita culpa" na ocorrência dos tiroteios — um aumento de 22 pontos percentuais em relação aos 57% que responderam da mesma forma em 2013.

Além das opiniões extremistas na internet, o discurso inflamado de políticos e comentaristas foi citado como fator que contribui para ocorrência de tiroteios por 58% dos entrevistados — em 2013, quando a mesma pesquisa foi feita pela última vez, foram 37%.

O fácil acesso a armas de fogo foi citado, por sua vez, por 69% dos americanos — um aumento de 8 pontos percentuais em relação a 2013.

Drogas e videogames

Já os que acreditam que a culpa também é do uso de drogas diminuíram de 66% para 65%, enquanto os que responsabilizam a violência em filmes, videogames e música caíram de 56% em 2013 para 48% em 2019.

A maioria dos entrevistados — cerca de 83% —, entretanto, continua apontando "falhas do sistema de saúde mental em identificar indivíduos que são perigosos para os outros" como uma das principais causas dos tiroteios.

O levantamento da Gallup foi feito após um dos meses mais sangrentos no que diz respeito aos ataques a tiros nos Estados Unidos: em agosto, os incidentes deixaram mais de 30 mortos em um intervalo de 48 horas nas cidades de El Paso, no Texas — cujo responsável é suspeito de disseminar mensagens de racismo e xenofobia pela internet — e Dayton, em Ohio.

A violência foi tamanha que, pela primeira vez em um discurso público, o presidente Donald Trump usou a expressão “terrorismo doméstico” para qualificar os tiroteios.

A Gallup ressalta que os entrevistados pela pesquisa “concordam amplamente que vários fatores são os culpados” pelos recentes episódios.