EUA registram novo aumento nos pedidos de auxílio-desemprego 

No dia 16 deste mês, o órgão havia apontado que 1,3 milhão de pedidos foram apresentados. Índice de desemprego chegou a 11,1% em junho

Pessoas fazem fila em centro de recrutamento em busca de emprego

Pessoas fazem fila em centro de recrutamento em busca de emprego

Bryan Woolston / Reuters - 18.6.2020

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulgou nesta quinta-feira (23) que 1,4 milhão de pessoas solicitaram na última semana o auxílio-desemprego, devido à crise do coronavírus, o que representa aumento na comparação com a anterior.

No dia 16 deste mês, o órgão apontou que 1,3 milhão de pedidos foram apresentados, no último registro de uma curva descendente iniciada ainda no fim de março, que volta a subir com o balanço apresentado hoje.

A média das últimas quatro semanas, ainda segundo o Departamento de Estado é de 1,36 milhão de solicitações, ligeiramente menor que as 1,37 milhão, que foram contabilizadas sete dias atrás.

Em 11 de julho, ao todo, 16,19 milhões de pessoas estavam recebendo o benefício, que é pago pelos governos estaduais, contra 17,33 milhões registrados na semana anterior.

Crise e desemprego

O índice de desemprego nos Estados Unidos, que girava em torno de 3,5% antes da pandemia da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, saltou para 14,4% em abril e tem tido queda desde então, chegando a 11,1% em junho.

Os economistas, no entanto, apontam que a retomada apressada das atividades industriais e comerciais e o aumento do número de casos de infecção, deverão contribuir com o avanço do desemprego.

Os deputados americanos já aprovaram um segundo pacote de estímulo econômico para o país, mas a proposta está travada no Senado, onde a maioria republicana está dividida sobre a manutenção do auxílio desemprego, que tem prazo acabando no fim deste mês.