Internacional EUA retornarão ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

EUA retornarão ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

O país anunciou a saída do órgão em 2018 por entender que havia uma postura parcial e tendenciosa contra Israel entre os membros

EUA abandonaram o Conselho da ONU em 2018

EUA abandonaram o Conselho da ONU em 2018

Freepik

Os Estados Unidos retornarão na condição de país observador ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, posição que abandonou em meados de 2018, confirmou nesta segunda-feira (8) a delegação americana, durante uma reunião da organização, realizada em Genebra, na Suíça.

O diplomata Mark J.Cassayre confirmou o regresso dos EUA - que será oficializado ainda hoje em Washington, pelo secretário de Estado Antony Blinken -, e ainda destacou que essa é a forma mais efetiva de reformar e melhor o órgão da ONU.

"Reconhecemos defeitos neste Conselho, mas sabemos que o organismo tem potencial para ser um importante fórum na luta contra as tiranias e as injustiças em todo o mundo", garantiu o delegado americano.

Durante a presidência de Donald Trump, os Estados Unidos abandonaram o órgão de debate sobre direitos humanos nas Nações Unidos, por considerar que havia uma postura parcial e tendenciosa contra Israel.

Com o regresso ao Conselho, que faz três reuniões anuais, os "Estados Unido reafirmam seu compromisso com a promoção e a proteção dos direitos humanos em todo o mundo", afirmou Cassayre. O diplomata ainda garantiu que o governo de Biden "acredita em uma política exterior focada na democracia, nos direitos humanos e na igualdade".

A volta dos EUA ao Conselho, que iniciará a próxima reunião no fim deste mês, é uma demonstração a mais de aposta americana no multilateralismo, depois da volta do país à Organização Mundial da Saúde e ao Acordo de Paris.

Últimas