Internacional EUA: Senado avança com projeto de orçamento de US$ 3,5 trilhões

EUA: Senado avança com projeto de orçamento de US$ 3,5 trilhões

Congresso deve aprovar o pacote de gastos até 30 de setembro ou prorrogar o atual orçamento enquanto os debates prosseguem

AFP
Senado dos EUA aprovou um orçamento de mais de R$ 18 trilhões

Senado dos EUA aprovou um orçamento de mais de R$ 18 trilhões

WIN MCNAMEE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

O Senado dos Estados Unidos deu mais um passo nesta quarta-feira (11) para a aprovação de um plano de gastos sociais de 3,5 trilhões de dólares, cerca de R$ 18, 2 trilhões, em conversão direta, destinados fundamentalmente a importantes investimentos nas áreas de saúde, educação e luta contra a mudança climática.

Senado dos EUA aprova plano de mais de R$ 6,23 trilhões para a infraestrutura

A medida foi aprovada por 50 votos a favor, e 49 contra, seguindo as linhas partidárias, após uma sessão de várias horas.

Os senadores têm até 15 de setembro para apresentar emendas. O Congresso deve aprovar o pacote de gastos até 30 de setembro, ou prorrogar o atual orçamento enquanto os debates prosseguem.

"Os senadores democratas acabam de passar nossa resolução de orçamento para oferecer investimentos históricos para os empregos, as famílias e para lutar contra a mudança climática", celebrou no Twitter o líder da maioria governista, Chuck Schumer. "Isso nos coloca no caminho certo para uma transformação geracional sobre como nossa economia funciona para o americano médio", completou.

Os líderes democratas pretendem avançar com o pacote nos próximos meses, usando um procedimento acelerado conhecido como "reconciliação". Este dispositivo permite que a legislação relacionada ao orçamento seja aprovada por maioria simples no Senado, e não pelos 60 votos habituais.

O projeto de orçamento de dez anos é o passo seguinte na ambiciosa agenda do presidente Joe Biden, após o plano de infraestrutura de US$ 1,2 trilhão, aprovado pelo Senado na terça-feira (10) com apoio bipartidário e que agora será debatido na Câmara de Representantes.

O plano de gastos inclui medidas contra o aquecimento global, status de residência para milhões de trabalhadores migrantes e dois anos de mensalidades pagas nas universidades públicas, assim como outros aspectos de infraestrutura que não foram incluídos no pacote aprovado pelo Senado.

Antes da votação, o líder dos republicanos na Casa, Mitch McConnell, disse que os democratas estavam "prestes a dar o primeiro passo em direção a mais uma farra de impostos e de gastos irresponsáveis e partidários".

Alguns moderados no Partido Democrata também manifestaram preocupação com o custo total do plano, o que antecipa duras negociações.

Últimas