Ex-funcionária acusa o democrata Joe Biden de assédio sexual

Tara Reade, que trabalhava no gabinete do então senador em 1993, disse em entrevistas que Biden a agarrou e colocou a mão por baixo de sua saia

Joe Biden deve ser confirmado como candidato democrata à presidência dos EUA

Joe Biden deve ser confirmado como candidato democrata à presidência dos EUA

Tracie Van Auken / EFE - arquivo

No mesmo dia em que recebeu o endosso de seu principal concorrente nas primárias democratas para a eleição presidencial dos EUA em novembro, o ex-vice-presidente Joe Biden aparece nas manchetes da imprensa norte-americano por outro motivo: ele é acusado, por uma ex-funcionária, de assédio sexual.

Leia também: Tornados causam destruição no sul dos EUA e matam ao menos 26

Tara Reade, que era funcionária do Senado norte-americano e trabalhou alguns meses como assistente responsável pelos estagiários do gabinete de Joe Biden, disse em entrevistas ao Washington Post e ao New York Times que foi assediada pelo então senador do estado de Delaware em meados de 1993.

A acusação

Ela contou que se encontrou com Biden em um corredor do Senado para lhe entregar uma bolsa e que ele a colocoou contra a parede, começou a beijar seu pescoço, colocou uma mão por dentro de sua blusa e, em seguida, por dentro de sua saia.

"Tudo aconteceu muito rápida. Ele estava falando e de repente, suas mãos estavam no meu corpo. Ele me beijou e disse baixinho: 'você quer ir para algum outro lugar?'", relatou ela. Em seguida, Tara o empurrou e ele parou e foi embora em seguida. Ela voltou chorando para casa.

Na entrevista, ela afirma que fez uma reclamação junto à assistente de Biden, Marianne Baker e outros membros do gabinete, mas que ninguém quis fazer nada contra o senador. Ela então fez uma reclamação por escrito para a administração do Senado e acabou perdendo pouco a pouco as funções e, por fim, o emprego.

Checando os fatos

Além da entrevista, o New York Times procurou diversos ex-funcionários do gabinete de Biden à época, para tentar checar as informações. Quase todos afirmaram não se lembrar de nenhuma reclamação contra Biden nem das alegações de Tara Reade. 

Duas amigas, que não quiseram se identificar, disseram ter ouvido a história contada por ela, uma em 1993 e outra em 2008. O irmão de Tara, a quem ela disse ter contado a história, confirmou que ouviu o relato dela, mas não quis dar entrevista.