Coronavírus

Internacional Ex-premiê belga é internada na UTI após testar positivo para covid-19

Ex-premiê belga é internada na UTI após testar positivo para covid-19

Sophie Wilmès atribuiu o contágio ao ambiente familiar ao anunciar nas redes sociais que está com a doença e pediu privacidade

Ex-premiê belga está com coronavírus

Ex-premiê belga está com coronavírus

Olivier Hoslet/EFE/EPA - 23.9.2020

A ex-primeira-ministra e atual chanceler da Bélgica, Sophie Wilmès, está internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após ter testado positivo para o novo coronavírus no último sábado, informou nesta quinta-feira (22) a imprensa local.

Pessoas próximas a Wilmès, de 45 anos, pediram que sua privacidade seja respeitada, de acordo com a emissoras belgas BRT e RTBF.

A antiga premiê, que ficou no cargo entre dezembro de 2019 até o mês passado e atualmente é ministra das Relações Exteriores no novo governo belga, Sophie Wilmès atribuiu o contágio ao ambiente familiar ao anunciar nas redes sociais que testou positivo.

Via Twitter, o atual primeiro-ministro, Alexander de Croo, desejou-lhe uma "recuperação rápida" e lembrou que "ninguém está imune ao vírus perigoso".

Dados no país

A Bélgica detectou 13.227 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um recorde nacional desde o início da pandemia, ofuscando a queda aparente registrada no dia anterior, colocando o avanço semanal médio para 75%.

Embora os dados reflitam em parte um aumento do número de testes realizados, atingindo uma média de 65 mil por dia, 35% a mais que na semana anterior, o número de internações e óbitos também aumentou.

A incidência média acumulada nos últimos 14 dias de 100 mil pessoas na Bélgica é de 927,9 casos, próxima a 975,8 na República Tcheca, país da União Europeia mais afetado pela segunda onda do novo coronavírus, de acordo com o boletim de ontem do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças.

Últimas