Internacional Executiva da Huawei chega à China após fim de processo no Canadá

Executiva da Huawei chega à China após fim de processo no Canadá

Meng Wanzhou foi detida há quase três anos em uma investigação de fraude movida por autoridades dos Estados Unidos

Reuters
Meng Wanzhou (foto) é filha do fundador da empresa de tecnologia, Ren Zhengfe

Meng Wanzhou (foto) é filha do fundador da empresa de tecnologia, Ren Zhengfe

Jin Liwang/Xinhua via REUTERS

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, chegou à China neste sábado (25), encerrando uma disputa de extradição de quase três anos, no mesmo dia em que dois canadenses detidos em Pequim por mais de mil dias voltaram para casa, o que pode quebrar o gelo da relação entre os dois países.

Meng, filha do fundador da Huawei Technologies, Ren Zhengfei, recebeu permissão para voltar para casa após chegar a um acordo com promotores norte-americanos na sexta-feira (24) para encerrar o processo contra ela por fraude.

O acordo resultou no cancelamento de uma audiência de extradição aos EUA em um tribunal de Vancouver naquele mesmo dia.

O drama de extradição que durou anos tem sido uma fonte central de discordância entre Pequim e Washington.

Autoridades chinesas sinalizaram que o processo teria que ser retirado para encerrar um impasse diplomático.

Conhecida na China como a "princesa da Huawei", pousou na cidade de Shenzhen a bordo de um voo fretado.

A imprensa estatal chinesa deu as boas-vindas a Meng de volta à "pátria-mãe" neste sábado, classificando as acusações de fraude bancária como sem fundamento.

Mas a imprensa chinesa ficou quieta sobre Michael Kovrig e Michael Spavor, os dois canadenses libertados da custódia da China em um ato aparentemente recíproco de Pequim.

Detidos pelas autoridades chinesas apenas dias depois da prisão de Meng, eles também foram libertados horas depois de Meng, afirmou o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau.

Últimas