Internacional Explosão no Líbano deixa membros da ONU gravemente feridos

Explosão no Líbano deixa membros da ONU gravemente feridos

Segundo comunicado da entidade, um dos navios com capacetes azuis estava ancorado no cais no momento do abalo e foi danificado

Explosão deixou rastro de destruição nos arredores do porto do Líbano

Explosão deixou rastro de destruição nos arredores do porto do Líbano

Wadel Hamzeh/EFE/EPA - 04.08.2020

Alguns membros da Unifil (Força Interina das Nações Unidas no Líbano) ficaram gravemente feridos devido à grande explosão ocorrida nesta terça-feira (4) no porto de Beirute, no Líbano, que afetou um de seus navios atracados no cais.

"Como resultado da grande explosão que sacudiu o porto de Beirute à tarde, um dos navios da força marítima da Unifil atracado no porto foi danificado, e alguns dos capacetes azuis (como são conhecidos os membros das forças de paz) ficaram feridos, alguns deles gravemente", disse a própria Unifil em comunicado, sem citar números.

Veja também: Explosão foi causada por 2.750 toneladas de nitrato de amônio

A missão informou ainda que os integrantes feridos foram levados aos hospitais mais próximos.

"Estamos ao lado do povo e do governo do Líbano durante este período difícil e estamos prontos para ajudar e oferecer assistência", disse o comandante da Unifil, general Stefano del Col, no comunicado.

A missão está presente desde 2006 no sul do Líbano sob a resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que pôs fim à guerra entre Israel e o grupo xiita libanês Hezbollah.

Até o início da noite desta terça-feira (pelo horário de Brasília), autoridades do Líbano haviam contabilizado 78 mortos e cerca de 4 mil feridos devido à explosão, cuja origem ainda está sendo investigada.

Foi necessário ainda aumentar o policiamento nas ruas porque as pessoas estavam em pânico, porque acreditavam que a explosão era fruto de um ataque terrorista. Segundo as autoridades locais, os danos foram sentidos em pelo menos metade da cidade.

Os hospitais de Beirute estão lotados de vítimas e familiares em busca de atendimento e o cenário é semelhante a destruição causada por uma guerra. Nas redes sociais, uma campanha está convocando as pessoas para irem doar sangue, já que os hospitais não possuem estoque suficiente para atender a todos que precisam.

Últimas