Novo Coronavírus

Internacional Fábrica da Sputnik V deseja pronta recuperação a presidente argentino

Fábrica da Sputnik V deseja pronta recuperação a presidente argentino

Alberto Fernández apresentou teste positivo para a covid-19 mesmo após receber as duas doses do imunizante feito na Rússia

  • Internacional | Da EFE

Alberto Fernández aguarda confirmação de teste PCR para diagnóstico de covid

Alberto Fernández aguarda confirmação de teste PCR para diagnóstico de covid

Esteban Collazo/Presidência da Argentina/EFE

O Centro Gamaleya de Microbiologia e Epidemiologia do Ministério da Saúde da Rússia, criador da vacina Sputnik V, lamentou neste sábado (3) que o presidente da Argentina, Alberto Fernández, vacinado com o fármaco, tenha apresentado teste positivo para a doença. Em seguida, o centro de pesquisa lhe desejou uma recuperação rápida.

"Estamos tristes em saber disso. O Sputnik V é 91,6% eficaz contra infecções e 100% eficaz contra casos graves. Se a infecção for confirmada, a vacinação garante uma recuperação rápida sem sintomas graves", escreveu o Gamaleya em sua conta no Twitter.

"Desejamos a ele uma rápida recuperação!", acrescentou na mensagem postada em resposta ao anúncio de Fernández sobre o possível contágio.

O presidente argentino, que completou 62 anos na sexta-feira e já havia sido vacinado contra a covid-19, confirmou que seu teste preliminar deu positivo para antígenos e aguarda o resultado do exame de PCR.

“Queria dizer que no final do dia de hoje, depois de apresentar um recorde de febre de 37,3 e uma leve dor de cabeça, fiz um teste de antígeno cujo resultado foi positivo”, escreveu o presidente em sua conta no Twitter na madrugada deste sábado.

“Embora estejamos aguardando a confirmação pelo teste de PCR, já estou isolado, cumprindo o protocolo em vigor e seguindo as orientações do meu médico pessoal”, comentou Fernández, que, no dia 21 de janeiro, recebeu a primeira dose da vacina Sputnik-V e, em 11 de fevereiro, foi vacinado com a segunda, conforme relatado à Efe pela presidência do país.

As mesmas fontes especificaram que o presidente teve exame positivo em um "teste rápido", mas aguarda a confirmação total com a PCR, cujo resultado será conhecido em "algumas horas".

Embora estudos mostrem alta eficácia do medicamento russo, o primeiro a ser registrado mundialmente, na própria Rússia, já ocorreram casos de infecções em pessoas imunizadas.

De acordo com fontes do gabinete do prefeito de Moscou informaram na última quarta-feira (31), 0,1% das pessoas que foram vacinadas contra o coronavírus na capital russa, ou seja, cerca de 1.000 cidadãos, contraíram covid-19, a maioria deles de forma leve.

De acordo com um comunicado da prefeitura, mais de 76% dos positivos adoeceram "moderadamente ou assintomáticos".

Últimas