Era Trump

Internacional Filho de brasileiros é preso nos EUA por invasão do Capitólio

Filho de brasileiros é preso nos EUA por invasão do Capitólio

Samuel Camargo já havia sido indiciado pelo FBI e foi detido em Washington no mesmo dia da posse de Joe Biden

A polícia procurou Samuel Camargo na Flórida, mas ele já estava na capital

A polícia procurou Samuel Camargo na Flórida, mas ele já estava na capital

Reprodução / Twitter

Samuel Camargo, o norte-americano filho de brasileiros que havia sido indiciado na semana passada pelo FBI por ter participado da invasão de apoiadores do ex-presidente Donald Trump ao Capitólio, no último dia 6, foi preso pela polícia norte-americana em Washington, na quarta-feira (20), mesmo dia em que aconteceu a posse do novo presidente dos EUA, Joe Biden.

Leia também: Invasores queriam 'capturar e assassinar', dizem promotores

Segundo a promotoria de Washington, policiais chegaram a procurar por Camargo em sua casa, na cidade de Fort Myers, na Flórida, mas ele já tinha viajado para a capital. Ele teria dito aos investigadores que sabia que estava sendo procurado, mas que "decidiu que deveria ir à posse ao invés de apenas se entregar às autoridades", de acordo com a acusação.

O homem foi indiciado pelo FBI na última sexta-feira (16), por quatro crimes federais: desobediência civil, invadir e permanecer em um prédio federal, desordem em um prédio de entrada restrita e ato de violência física em um prédio de Capitólio. As audiências na justiça federal ainda não foram marcadas. Se for condenado, ele pode pegar até 25 anos de prisão.

Denúncia via redes sociais

Os agentes chegaram até Samuel por causa de um conhecido, que denunciou ao FBI vídeos e fotos que ele postou em suas contas do Facebook e do Instagram. Em um dos vídeos, ele aparece entre os invasores que tomaram a entrada oeste do Capitólio, avançando contra policiais que tentavam conter a multidão.

No dia 6 de janeiro, o prédio do Congresso norte-americano foi invadido por uma multidão de apoiadores do ex-presidente Donald Trump, no momento em que os parlamentares realizavam a contagem dos votos do Colégio Eleitoral, último ato da eleição antes da posse do vencedor. Trump sofreu um impeachment por ter incitado a violência e ainda será julgado no Senado.

Últimas