Internacional Fiona vira tempestade pós-tropical depois de castigar o Canadá

Fiona vira tempestade pós-tropical depois de castigar o Canadá

Rajadas de vento com força de furacão deixaram 500 mil casas sem energia na costa leste do país e causaram um desaparecimento

AFP
Fiona atravessou o Canadá com ventos de até 144 km/h

Fiona atravessou o Canadá com ventos de até 144 km/h

Ted Pritchard/Reuters - 24.9.2022

A tempestade Fiona, perdeu força e se tornou um fenômeno pós-tropical depois de castigar a costa leste do Canadá com rajadas de vento com força de furacão neste sábado (24), deixando uma mulher desaparecida e meio milhão de casas sem energia.

Com ventos máximos de 80 quilômetros por hora, Fiona atinge, neste domingo (25), "o norte de Terra Nova, o sudeste de Labrador e partes do sudeste de Québec com fortes ventos", informou o Centro Canadense de Furacões (CFC, na sigla em inglês), ressaltando, contudo, que "esses ventos vão diminuir no final do dia". 

Duas mulheres foram arrastadas pelas águas em Channel-Port aux Basques, na província de Terra Nova, disse um porta-voz da polícia. Uma das duas vítimas foi resgatada e hospitalizada, e a outra continua desaparecida.

Pelo menos 20 casas foram destruídas, e a área parece "uma zona de guerra", disse o prefeito de Channel-Port-aux-Basques, Brian Button, em, um vídeo publicado no Facebook.  Segundo ele, os moradores foram estimulados a se abrigarem em uma escola local.

"Fiona veio e deixou sua marca na Nova Escócia e nas províncias vizinhas", descreveu o chefe de governo desta região, Tim Houston, em entrevista coletiva concedida ontem à tarde. "Isso não terminou", alertou.

No final de sábado, quase 500 mil casas estavam sem energia nas províncias de Nova Escócia, Ilha do Príncipe Eduardo e Nova Brunswick. Algumas residências ficarão sem energia "por vários dias", advertiu o diretor da operadora Nova Scotia Power, Peter Gregg. "Levará tempo para a Nova Escócia se recuperar. Apenas peço paciência a todos", disse Houston, em um comunicado.

Chuvas de 192 milímetros e ondas de 12 metros de altura atingiram a Nova Escócia — onde Fiona tocou terra na manhã de sábado com ventos de 144 km/h — e o oeste de Terra Nova, segundo os serviços meteorológicos. 

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, que cancelou sua participação no funeral de Shinzo Abe no Japão para acompanhar a situação de perto, anunciou no Twitter, no sábado, que as autoridades federais estão prontas "para fornecer recursos adicionais às províncias".

"Estou pensando em todos os afetados pelo furacão Fiona. Saibam que estamos com vocês", tuitou Trudeau. Fiona passou pelas Bermudas na sexta-feira (23), depois de causar estragos no Caribe, deixando pelo menos sete mortos: quatro em Porto Rico, dois na República Dominicana e um em Guadalupe.

Últimas