Coronavírus

Internacional Flórida, nos EUA, cria multa para quem exigir comprovante de vacina

Flórida, nos EUA, cria multa para quem exigir comprovante de vacina

Empresas, escolas e órgãos públicos serão multados em mais de R$ 25 mil se obrigarem a pessoa a apresentar o documento

  • Internacional | Do R7

Protesto antivacina realizado em Santa Mônica, na Califórnia

Protesto antivacina realizado em Santa Mônica, na Califórnia

RINGO CHIU / AFP

O estado da Flórida, nos EUA, aplicará uma multa 5 mil dólares, mais de R$ 25 mil, para empresas, escolas e órgãos públicos que exigirem o comprovante de vacinação contra a covid-19 para permitir a entrada de pessoas.

A lei foi promulgada pelo governador do estado, Ron DeSantis, no ínicio do ano e a nova regra passará a valer a partir de 16 de setembro. A punição será aplicada por cada pessoa que tiver o comprovante solicitado e em cada caso registrado no local.

"Na Flórida, sua escolha pessoal em relação às vacinas será protegida e nenhuma empresa ou entidade governamental poderá negar seus serviços com base em sua decisão", disse o governador republicano em maio deste ano.

 

A secretária de comunicação do governo da Flórida, Christina Pushaw, justificou a medida dizendo que só os democratas são contrários à medida e que a população não está sendo proibida  de levar o comprovante para a rua e apresentar quando for entrar em algum estabelecimento.

"Por alguma razão, a proibição de passaportes de vacinas na Flórida realmente é um gatilho para os democratas. Eu não entendo. Se eles quiserem levar seu histórico médico a todos os lugares e mostrar seus documentos no McDonald's, ninguém os impedirá", publicou Christina em seu perfil.

O governador da Flórida foi contrário também ao lockdown e não decretou que escolas e o comércio no estado ficassem de portas fechadas como uma medida para conter a disseminação do vírus causador da covid-19.

Enjoo pode ser reação à vacina? Veja eventos fora do comum

Últimas