França abre investigação judicial sobre explosão em Beirute

A abertura da investigação, que começou por 'lesões involuntárias', é um procedimento habitual sempre que há vítimas francesas no exterior

Zona portuária de Beirute foi o epicentro da explosão que ocorreu nesta terça

Zona portuária de Beirute foi o epicentro da explosão que ocorreu nesta terça

EFE/EPA - Wael Hamzeh - 05.08.2020

O Ministério Público de Paris abriu nesta quarta-feira (5) uma investigação sobre as circunstâncias da grande explosão ocorrida em Beirute, que deixou mais de cem mortos e 4 mil feridos, entre eles 21 franceses.

A abertura da investigação, que começou por "lesões involuntárias", é um procedimento habitual sempre que há vítimas francesas no exterior.

"Um primeiro balanço permite identificar 21 pessoas de nacionalidade francesa feridas durante a explosão", informou o Ministério Público.

O presidente da França, Emmanuel Macron, viajará na quinta-feira (6) ao Líbano para se reunir com autoridades do país e avaliar a situação, de modo a preparar o envio de mais ajuda francesa.

Dois aviões militares franceses voaram rumo ao Líbano nesta quarta-feira transportando 55 funcionários da Defesa Civil especializados em situações de emergência, para auxiliar os profissionais de saúde locais, e 15 toneladas de equipamento, além de uma unidade móvel de saúde para atender 500 feridos.