Novo Coronavírus

Internacional França entra em semana importante para conter coronavírus

França entra em semana importante para conter coronavírus

País decretou toque de recolher em 9 áreas urbanas e cidadãos que desrespeitarem medida podem ser multados e presos por até 6 meses

  • Internacional | Da EFE

França decreta toque de recolher em centros urbanos

França decreta toque de recolher em centros urbanos

Pascal Rossignol/Reuters - 17.10.2020

A França entra nesta segunda-feira (19) em uma semana importante para controlar a segunda onda da pandemia do novo coronavírus, após vários dias de agravamento dos registros e com o toque de recolher em nove grandes áreas urbanas já em pleno vigor.

A medida restritiva está sendo seguida de forma generalizada, embora nas redes sociais e na mídia local de várias cidades alguns protestos de pequena escala tenham sido relatados nas duas primeiras noites de aplicação.

Em Paris, pequenos grupos se reuniram cantando "Liberdade" e slogans contra o governo, muitas vezes sem a máscara obrigatória, embora sob vigilância policial.

Prisões e multas

A polícia de Paris não forneceu detalhes sobre multas ou prisões. Um total de 1.350 agentes de diferentes órgãos são responsáveis ​​pelo acompanhamento na capital do cumprimento do toque de recolher, que vai das 21h às 6h.

Em Lille (norte), houve 30 sanções de diversos tipos durante a madrugada de sábado, quando a medida entrou em vigor.

As sanções vão desde uma multa de 135 euros pela primeira violação da regra a 3.750 euros, cerca de R$ 24,9 mil, e até seis meses de prisão para quem violar repetidamente o toque de recolher.

O Governo impôs toque de recolher devido ao agravamento da situação sanitária, que se agravou ainda mais nos últimos dias em muitos dos parâmetros que medem o impacto da pandemia.

Aumento de casos

O número máximo de casos novos foi atingido no sábado, com 32.427, e apesar da ligeira queda no domingo (29.837).

A taxa de positividade nos exames realizados, o número de internados e o número de pacientes internados em terapia intensiva também continuam aumentando progressivamente.

Últimas