Reino Unido

Internacional França resgata mais de 150 migrantes no Canal da Mancha

França resgata mais de 150 migrantes no Canal da Mancha

Autoridades marítimas receberam chamados de socorro de diferentes pontos da região que separa o país da Inglaterra

AFP
Travessias ilegais da França para a Inglaterra aumentaram em 2021

Travessias ilegais da França para a Inglaterra aumentaram em 2021

Bernard Barron/AFP - 15.9.2021

Autoridades francesas anunciaram que 154 imigrantes foram socorridos no norte da França quando tentavam cruzar o Canal da Mancha de barco rumo à Inglaterra.

Um primeiro grupo de 22 migrantes foi resgatado na costa de Bray-Dunes e levado para o porto de Dunquerque, onde foram atendidos pela guarda de fronteira e por socorristas, informou um comunicado da prefeitura marítima.

Enquanto isso, "o Cross (centro operacional regional de vigilância e resgate) de Griz-Nez foi informado que uma embarcação estava em apuros em uma represa de Braek" e contratou uma embarcação da SNSM (Sociedade Nacional de Resgate Marítimo). Assim que chegaram ao local, "resgataram 20 náufragos e os levaram para o porto de Dunkerque".

Mais tarde, um barco patrulha da Alfândega transferiu outras 39 pessoas para o porto de Dunquerque. E um último grupo de 27 migrantes foi socorrido e transferido para o porto de Calais.

Nesta terça-feira (21), o Cross Gris-Nez prestou assistência a uma nova embarcação, na qual viajavam 46 pessoas, que foram resgatadas e levadas ao porto de Boulogne-sur-Mer a bordo de um barco da SNSM, segundo um novo comunicado da prefeitura.

Desde o final de 2018, os migrantes tentam cruzar o Canal da Mancha para chegar à costa do Reino Unido, apesar das advertências das autoridades sobre os perigos da travessia.

De acordo com o administrador marítimo Philippe Dutrieux, cerca de 15.400 migrantes tentaram fazer a travessia entre 1º de janeiro e 31 de agosto e foram transferidos para a França. Em 2020, foram 9.500, contra 2.300 em 2019, e 600, em 2018.

Nas últimas semanas, esse fenômeno gerou tensões entre França e Reino Unido. Londres acusa Paris de não fazer o suficiente e anunciou sua intenção de devolver as embarcações à costa francesa.

Últimas