Fumaça de incêndios florestais dos EUA pode chegar à Europa

O Serviço de Monitoramento Copérnico da União Europeia vem monitorando a fumaça que pode ser vista a 8 mil quilômetros de distância 

Fumaça espessa pode ser vista a oito mil quilômetros de distância

Fumaça espessa pode ser vista a oito mil quilômetros de distância

Stephen Lam/ Reuters/ 09.09.2020

Cientistas do Serviço de Monitoramento Copérnico da União Europeia (Cams) que estão acompanhando a fumaça proveniente dos incêndios florestais dos Estados Unidos afirmaram nesta quarta-feira (16) que as particulas em suspensão podem chegar à Europa, adquirindo escala continental.

"O fato de estes incêndios estarem emitindo tanta poluição na atmosfera a ponto de ainda podermos ver fumaça espessa a mais de oito mil quilômetros de distância reflete como eles são devastadores em sua magnitude e duração", disse Mark Parrington, cientista sênior do Cams, em um comunicado.

Leia mais: Ruas roxas depois do fogo: imagens de drone mostram devastação de incêndios nos EUA

Equipes de bombeiros da Costa Oeste dos Estados Unidos ainda lutam nesta quarta contra os incêndios florestais mais letais dos últimos anos, que obrigaram milhares de pessoas a sair de casa e encontrar abrigos temporários.

Dezenas de incêndios consumiram cerca de 1,8 milhão de hectares de vegetação seca e matas nos Estados do Oregon, da Califórnia e de Washington desde agosto, devastando várias cidades pequenas, destruindo milhares de casas e matando ao menos 34 pessoas.

Os incêndios florestais, que autoridades e cientistas descreveram como inéditos em abrangência e ferocidade, encheram os céus da região de fumaça e fuligem, agravando a crise de saúde pública representada pela pandemia de coronavírus.

A poluição atingiu níveis históricos em resultado dos incêndios em cinco cidades do Oregon: Portland, Eugene, Bend, Medford e Klamath Falls, informou o Estado na terça-feira.