Rússia x Ucrânia

Internacional G7 anuncia novas sanções econômicas e financeiras contra a Rússia

G7 anuncia novas sanções econômicas e financeiras contra a Rússia

Grupo dos 7 países mais industrializados é formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido

AFP
Grandes potências continuam pressionando economicamente a Rússia

Grandes potências continuam pressionando economicamente a Rússia

Mikhail Klimentyev/Reuters - 30.03.2022

O G7, que reúne as economias mais avançadas do mundo, concordou nesta quinta-feira (7) em impor novas sanções à Rússia devido às "atrocidades cometidas pelas Forças Armadas russas" contra civis na Ucrânia.

"Proibimos novos investimentos em indústrias-chave da economia russa, incluindo energia", afirmaram as potências do G7 em um comunicado que também anuncia "sanções adicionais contra o setor de defesa russo" e contra "elites e seus parentes" que apoiam a guerra contra a Ucrânia, decidida pelo presidente russo Vladimir Putin.

As proibições de exportação de certos bens serão estendidas, assim como as sanções contra bancos e empresas públicas russas, de acordo com o texto.

Enquanto um embargo às importações de energia não é considerado nesta fase, os países do G7 querem "avançar" nos planos para reduzir sua dependência da energia russa, que incluem, entre outros, "uma saída gradual do carvão russo".

O grupo das sete grandes potências também pediu nesta quinta a suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, que a Assembleia-Geral da ONU adotou à tarde.

Dos 193 países-membros da Assembleia-Geral, 93 votaram a favor da suspensão, 24 foram contrários e 58 se abstiveram. O primeiro país a ser suspenso do Conselho de Direitos Humanos da ONU foi a  Líbia, em 2011. 

Últimas