Gêmeos ingleses podem ser deportados para países diferentes

Darrell e Darren, de 24 anos, são filhos de estrangeiros e nasceram em Londres, mas nunca aplicaram para conseguir cidadania britânica

Gêmeos podem ser deportados da Inglaterra

Gêmeos podem ser deportados da Inglaterra

Reprodução

Dois irmãos gêmeos nascidos em Londres podem ser deportados para dois países caribenhos que não conhecem e nunca visitaram. Darrell e Darren Roberts, de 24 anos, foram presos na Inglaterra e agora receberam notificações de que podem ser deportados, cada um para um país diferente.

Os dois são filhos de pais caribenhos, o pai veio de Dominica e a mãe de Grenada, que foram para a Inglaterra sem cidadania britânica. Os jovens também nunca formalizaram a documentação que determina que eles são cidadãos britânicos.

Ainda assim, o advogado de Darrell disse que ele é britânico e que já cumpriu com a pena de lesão corporal grave.

Segundo a BBC, o escritório de Assuntos Internos britânico disse que nenhum dos dois está detido pela imigração e que não estão sujeitos à deportação. Porém, a publicação viu a carta de deportação enviada a um dos irmãos e garante que as autoridades planejam seguir com o processo.

Processo de deportação e prisão

Darrell e Darren ficaram sozinhos na Inglaterra aos 13 anos depois que a mãe morreu e o pai decidiu voltar para o país natal. Os dois ficaram sob a supervisão do serviço social britânico.

Aos 17 anos, Darrell foi preso durante 6 meses por lesão corporal grave. Depois da liberação, o jovem recebeu uma notificação de que seria deportado para a República Dominicana, país com o qual não tem nenhuma ligação.

O irmão, Darren, está preso por uma outra sentença de lesão corporal grave e recebeu a notificação de que seria deportado para Grenada, onde a mãe nasceu.

As autoridades britânicas podem deportar qualquer pessoa que esteja no país sem cidadania e que foi preso por uma ofensa grave e cuja sentença é superior a 1 ano.

Filhos de estrangeiros nascidos no Reino Unido são elegíveis para a cidadania britânica, mas não são automaticamente considerados cidadãos britânicos. Nenhum dos gêmeos tentou conseguir a cidadania britânica enquanto moram na Inglaterra.