Rússia x Ucrânia

Internacional Grande grupo de soldados ucranianos permanece em Azovstal

Grande grupo de soldados ucranianos permanece em Azovstal

Milhares de combatentes foram retirados da usina siderúrgica de Mariupol nas últimas semanas, último foco de resistência na cidade

Reuters

Resumindo a Notícia

  • Apesar das retiradas de soldados, combatentes permanecem em Azovstal
  • Cerca de 1.700 soldados que ficavam na usina em Mariupol se renderam nos últimos dias
  • Autoridades ucranianas se recusam a falar sobre a retirada de soldados do local
  • Comandantes do regimento Azov dizem continuar em Azovstal
Usina siderúrgica de Azovstal é o lar de uma das maiores resistências ucranianas

Usina siderúrgica de Azovstal é o lar de uma das maiores resistências ucranianas

Alexander Ermochenko/Reuters - 15.5.2022

O cerco da Rússia à cidade ucraniana de Mariupol caminha ao fim nesta quinta-feira (19), com centenas de soldados ainda presos na siderúrgica de Azovstal e cerca de 1.700 que já se renderam encarando um destino incerto.

O abandono total dos abrigos e túneis da siderúrgica bombardeada encerraria o mais destrutivo cerco da guerra, que começou quando a Rússia invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro. Não ficou claro quantos soldados continuam no lado de dentro.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que 771 soldados do Regimento Azov haviam se rendido no último dia, levando o total dos que baixaram as armas desde segunda-feira a 1.730.

Autoridades ucranianas se recusaram a comentar, dizendo que podem pôr em risco operações de resgate.

Sviatoslav Palamar, vice-líder do Regimento Azov, publicou um vídeo de 18 segundos, na quinta-feira, em que afirma que ele e outros comandantes ainda estavam no território da siderúrgica.

“Uma certa operação está em andamento, não divulgarei os detalhes dela. Obrigado ao mundo inteiro e obrigado à Ucrânia pelo apoio”, disse.

Últimas