Coronavírus

Internacional Grécia ordena autópsia de mulher que recebeu vacina de Oxford

Grécia ordena autópsia de mulher que recebeu vacina de Oxford

Vítima de 63 anos foi encontrada inconsciente vinte minutos após aplicação; autoridades de saúde garantem que vacina é segura

Suspeita-se que o imunizante pode levar à formação de coágulos sanguíneos

Suspeita-se que o imunizante pode levar à formação de coágulos sanguíneos

Kai Pfaffenbach/Reuters - 24.03.2021

O ministério da Saúde da Grécia ordenou a autópsia de uma mulher de 63 anos que morreu após receber uma dose da vacina de Oxford contra a covid-19, alvo de suspeitas após casos graves de formação de coágulos sanguíneos, informaram fontes ministeriais nesta quarta-feira (31). A autópsia tem o objetivo de estabelecer se existe uma relação entre a morte e a vacinação, segundo a mesma fonte. 

Vacinada na terça-feira à tarde em Ilion, subúrbio de Atenas, a mulher foi encontrada inconsciente vinte minutos depois no banco de um parque próximo, de acordo com a imprensa local. Ela foi levada para uma clínica, que comprovou sua morte. Segundo alguns veículos de comunicação, a mulher tinha diabetes e outras doenças crônicas.

O imunizante foi restringido em alguns países. A Grécia nunca suspendeu seu uso, mas autoriza sua administração apenas aos menores de 65 anos.

Quase todos os casos de trombose acontecem em mulheres jovens ou de meia idade. Suécia, Finlândia, Islândia, França e Canadá suspenderam a vacinação com este imunizante nas faixas etárias mais jovens.

Apesar do relato de casos de pessoas que tiveram trombose após receber uma dose do imunizante, as autoridades internacioanais de saúde garatem que o uso da vacina é segura e que não há necessidade dos países suspenderem as aplicações.

Últimas